OUTROS DESTAQUES
IGF 2015
IEEE propõe maior participação de setor de tecnologia na governança de Internet
sexta-feira, 13 de novembro de 2015 , 19h06 | POR BRUNO DO AMARAL, DE JOÃO PESSOA, A CONVITE DO CGI.BR

Em um ambiente que se preza multissetorial, o Fórum de Governança de Internet (IGF 2015), que foi encerrado nesta sexta, 13, em João Pessoa, poderia ter maior presença de engenheiros de tecnologia, na opinião da diretora sênior de políticas tecnológicas e relacionamentos internacionais do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE), Karen McCabe. Para tanto, ela tenta promover uma sobreposição entre os tomadores de decisão de políticas e o setor de tecnologia. "E é uma intenção bilateral, não é só ir ao lugar de políticas e sair falando de tech", explicou ela. "Queremos conscientizar nesse aspecto, entender o espaço político, as implicações da tecnologia, e como isso vai ser e é muito importante."

Para ela, há uma necessidade de haver um diálogo maior entre as partes. "Acho que ambas as comunidades precisam começar a se escutar – não estou dizendo que não fazem isso, mas eles precisam ouvir mais as vozes da comunidade de tecnologia hoje, em uma perspectiva de entender e aprender". Karen lembra que no IGF 2014, em Istambul, ela já notara a necessidade de haver uma maior participação do setor de engenheiros – especialmente mulheres, promovendo a igualdade de gêneros. "É uma habilidade especial entender a tecnologia e suas implicações no desenvolvimento e também entender o lado político, então estamos tentando aumentar essa capacidade, o mundo precisa de mais cérebros fantásticos e para políticas também", declara.

Na avaliação da diretora do IEEE, o IGF 2015 foi positivo, mesmo sem haver um documento final que representasse diretrizes e princípios a serem seguidos, como aconteceu com o NetMundial, em 2014, em São Paulo. "Precisamos ter cuidado, se sair uma declaração, o IGF poderia virar uma outra coisa, não o que deveria ser", diz. "Acho que há muito a fazer nessas discussões, porque é assim que as pessoas se educam. Para mim, você sempre sai daqui com algo, não precisa ter um documento."

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top