OUTROS DESTAQUES
Estratégia
Presidente da Claro quer revisão nas metas de cobertura
terça-feira, 27 de outubro de 2015 , 20h11

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, acredita que o cenário econômico impõe novos desafios às operadoras, sobretudo na obtenção de receitas, o que dificultaria os aportes para o cumprimento das metas de cobertura do serviço móvel impostas nos leilões de frequências. Por isso, ele afirma que vai procurar a Anatel para pedir revisão dessas obrigações, ao menos para estender o prazo de cumprimento.

"Não negamos que temos as responsabilidades, sempre cumprimos todas as metas ao passar dos anos, mas agora temos metas acumuladas de 3G com 2,1 GHz; do 2,5 GHz, do 4G; e metas rurais, mas deveríamos poder fazer revisão, seria a nossa expectativa, mas temos que formalizar e entrar em detalhe nessa solicitação", declarou o executivo em conversa com jornalistas após painel na Futurecom nesta terça, 27. Zenteno não fala em nenhuma meta específica, mas "em conceito".

A justificativa é simples: o cenário de crise pressiona a receita das operadoras, com queda na base pré-paga, redução de receitas de serviços de voz e aumento na demanda de dados por conta das over-the-top (OTTs). "Imagine o cenário que todo mundo tem receitas em queda importante, principalmente pela (redução da) VU-M e desaceleração de consumo, troca de uso de multiSIM para SIM (fim do efeito comunidade), que alguém está perdendo", diz o presidente da Claro. "Há uma ameaça muito grande de perda de receita, e já com o tipo de câmbio é direto (o impacto), é complicado. Não somos pessimistas, mas sem dúvida seria uma coisa boa poder revisar essas metas e tentar empurrar mais para frente (as obrigações) considerando um cenário melhor macroeconômico no País."

Nenhuma proposta foi finalizada, mas Zenteno diz já haver uma conversa inicial com a agência. "Já fizemos contatos para isso na Anatel", garantiu.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top