OUTROS DESTAQUES
Banda larga fixa
Velocidade no Brasil fica novamente abaixo da média mundial
quarta-feira, 24 de junho de 2015 , 14h45 | POR BRUNO DO AMARAL

O Brasil mostrou crescimento no primeiro trimestre de 2015, mas ainda apresentou velocidades e penetrações abaixo das médias mundiais no ranking de banda larga fixa realizado pela Akamai e divulgado nesta quarta-feira, 24. De acordo com o estudo, o País registrou crescimento abaixo de outros países latino-americanos, chegando inclusive a cair de posição.

Com 3,4 Mbps, abaixo da média mundial de 5 Mbps, o Brasil ficou em 89º colocado no ranking global de velocidade média da banda larga, duas posições abaixo do registrado em junho de 2014. Mesmo com esse resultado, o País aumentou 29% no comparativo anual e mesmo 13% no comparativo com o trimestre anterior. Ainda assim, ficou atrás dos latinos Uruguai (6,7 Mbps), Chile (5,7 Mbps), México (4,9 Mbps), Argentina (4,6 Mbps), Colômbia (4,5 Mbps), Peru (4,5 Mbps) e Equador (4,1 Mbps). A Akamai destaca o crescimento de 75% do Chile no período de um ano, além do Peru (64%) e do Uruguai (55%).

Na lista de velocidade de pico média, o Brasil está um pouco acima, em 82º (mesma posição do ano anterior), com 24,2 Mbps. Mesmo com o crescimento de 35% ao ano e 10% em relação aos últimos três meses de 2014, também foi um resultado abaixo da média mundial, de 29,1 Mbps. O País novamente ficou atrás dos vizinhos, em especial do Uruguai (51,3 Mbps), segundo colocado nas Américas atrás apenas dos Estados Unidos (53,3 Mbps). Chile (36,7 Mbps) e Colômbia (28,7 Mbps) mostraram aumento significativo no ano: 76% e 71%, respectivamente.

Penetração por velocidade

No primeiro trimestre, o Brasil tinha 31% das conexões com velocidade acima de 4 Mbps, um aumento de 45% no ano. O número é abaixo da média mundial de 63%, deixando a Internet brasileira em 81º lugar. O País ainda mostrou aumento de 132% na quantidade de conexões acima de 10 Mbps, ficando com 2,2% de penetração e garantindo a 67ª posição. Mas também o aumento foi menor do que o de países vizinhos e com melhor colocação, como Colômbia (972%, 4,7% de penetração), Peru (858%, 2,5%) e Chile (723%, 9,1%).

No recorte de velocidade acima de 15 Mbps, o Brasil está em 54º, com 0,5% de penetração, aumento de 54%. Destacam-se o aumento de 740% na Colômbia (1,1%) e de 476% do Chile (1,8%). A Akamai não incluiu no ranking regional a penetração de conexões com velocidade acima de 25 Mbps.

Dados Anatel

Para efeito de comparação, nos dados divulgados pela Anatel referentes a abril e à velocidade contratada, a maioria das conexões brasileiras (46,88%) era na faixa de 2 Mbps a 12 Mbps: 11,535 milhões de acessos. Em seguida vem a faixa de 512 Kbps a 2 Mbps, com 7,081 milhões (28,78%). As conexões de 12 Mbps a 34 Mbps somam 3,769 milhões (15,32%), e as acima de 34 Mbps são 995 mil (4,04%). O País ainda registrava 1,226 milhão de acessos (4,98%) abaixo de 512 Kbps.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top