OUTROS DESTAQUES
TV por assinatura
Novo satélite muda estratégia de DTH da OiTV
segunda-feira, 03 de junho de 2013 , 22h37 | POR SAMUEL POSSEBON, DE BAIKONUR, A CONVITE DA SES

A decisão da Oi de contratar toda a capacidade de banda Ku do novo satélite SES-6 para o País mais do que dobra a quantidade de canais que a OiTV poderá oferecer. Também amplia significativamente a flexibilidade que a Oi terá para montar soluções de transmissão de dados via satélite, já que a capacidade em satélite contratada pela operadora foi ampliada em 30% com o acordo com a SES.

A ideia de ter um satélite praticamente só seu para DTH  foi tomada há mais de um ano pela Oi, e desde então a operadora está em negociação com a SES para viabilizar o projeto. Durante o período, a SES conseguiu otimizar a capacidade do satélite SES-6 para o mercado brasileiro, ampliando o número de transponders dedicados à região e melhorando a cobertura planejada.

Trata-se de uma mudança importante na estratégia da Oi. Até aqui, a empresa dependia exclusivamente da capacidade da Media Networks para prover seus serviços de DTH. A Media Networks é uma empresa do grupo Telefônica que presta o serviço de distribuição dos sinais de TV para várias empresas de DTH, entre elas a OiTV, a Vivo TV e a Algar Telecom, por meio do satélite Amazonas 1 (61oW), da Hispamat. Isso significa que todas estas operadoras compartilham o mesmo satélite, uplink center, acesso condicional e precisam montar seus pacotes em cima das mesmas opções de canais.

Flexibilidade

Para a OiTV, que até o final do ano deve chegar à marca de um milhão de assinantes de TV paga, e para quem a oferta de TV por assinatura se tornou essencial na estratégia de produtos residenciais, passou a ser necessário ter mais flexibilidade em termos de quantidade, qualidade de canais (especialmente canais HD) e configuração tecnológica do serviço. Por exemplo, ter, no futuro, capacidade de oferta de vídeo sob demanda com soluções híbridas que combinem banda larga e DTH, oferecer mais canais pay-per-view e uma oferta mais ampla de canais em alta definição.

A partir do final do ano, quando a empresa já espera ter todos os transponders disponíveis no SES-6 em operação, a OiTV planeja oferecer novos serviços, mais canais e  novos empacotamentos.

Transição

Essa fase marcará o início da transição para a nova etapa de exploração no DTH da Oi, mas também representa um desafio operacional, já que terá dois satélites diferentes (e em posições diferentes) para o mesmo serviço. À medida que os clientes forem contratando novos planos e novos clientes forem adicionados à base, eles já entrarão na nova plataforma baseada no SES-6. Segundo Ariel Dascal, diretor da OiYV, a Oi não pretende fazer uma migração forçada da base dos clientes que hoje recebem seus sinais por meio do Amazonas 1 para o novo satélite. Ou seja, não haverá a necessidade de reapontamento de antenas nem troca de equipamentos antecipadamente, pois isso teria um alto custo logístico e operacional.

Como o acordo com a SES é de até 15 anos (a vida útil estimada do SES-6 é essa), em alguns anos o provável é que a base tenha migrado naturalmente para a nova plataforma em função das mudanças de planos de serviço e ingresso de novos assinantes já na nova plataforma. Tecnicamente, portanto, a Oi TV não está deixando a Media Networks. Está, entretanto, caminhando por conta própria.

Outro passo necessário nesse sentido é a construção do uplink center próprio, por meio do qual a Oi fará o controle da operação de DTH e a subida dos sinais para o satélite. Um teleporto está sendo construído na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, ao lado do headend atual (que atende tanto ao DTH quanto ao serviço de IPTV). O teleporto deve estar operando até setembro deste ano. Um segundo complexo deve ser construído em Guaratiba, também no Rio de Janeiro, para garantir redundância nas operações.

As negociações com os fornecedores para a plataforma de operação do DTH em cima do SES-6 (fabricantes de um novo set-top, outra tecnologia de acesso condicional etc.) também estão sendo finalizadas.

A Oi tem hoje 837 mil assinantes e tem focado sua oferta no modelo de pacotes de baixo custo, mas com grande oferta de canais HD. Com isso, a operadora já tem mais de 60% dos clientes com pacotes HD e atualmente 100% das vendas são nessa modalidade.

 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top