OUTROS DESTAQUES
Interconexão
Oi reduz VU-M para Telemar em MG e negocia com concorrentes
quarta-feira, 30 de junho de 2004 , 15h06 | POR REDAÇÃO

A Oi reduziu de R$ 0,3728 para R$ 0,234 o valor da VU-M (valor de uso da rede móvel) cobrado nas ligações fixo-móvel originadas na rede da Telemar em Minas Gerais. A redução é de 37% e foi passada integralmente para a tarifa cobrada ao público ? que caiu de R$ 0,46/minuto para R$ 0,32/minuto. A tarifa cobrada nas ligações fixo-móvel da Telemar para TIM e Telemig Celular é R$ 0,50/minuto, portanto, 53% mais cara. Esta é a primeira mudança de VU-M fruto do regime de livre negociação entre as empresas.
?A redução da VU-M será compensada pelo aumento do tráfego e a conquista de novos clientes para a Oi?, explicou Alberto Blanco, diretor de marketing da operadora móvel. Oi e Telemar, que têm os mesmos controladores, produziram um comercial em conjunto para divulgar ao público mineiro a nova tarifa.
A redução em Minas Gerais constitui um projeto piloto de 30 dias, prorrogável por outros 60. As empresas não têm ainda uma estimativa de quanto esta iniciativa aumentará o volume de tráfego. Ao longo do segundo semestre a redução se estenderá aos demais Estados onde Oi e Telemar atuam.
O acordo firmado será oferecido com as mesmas condições às concorrentes das duas companhias, como determina a regulamentação. ?Já estamos conversando com todas as outras operadoras móveis?, afirmou Marcelo Pereira, diretor de atacado da Telemar. Por sua vez, a Oi encaminhou correspondência oferecendo acordos similares à CTBC, Vésper e Embratel para o Estado de Minas.
Pereira acredita que com a livre negociação os valores das VU-Ms não ficarão mais 12 meses estagnados. Eles serão alvo constante de modificações por causa do interesse das operadoras em criar promoções para as tarifas fixo-móvel.

Universalização

A Telemar discorda que a VU-M ainda desempenhe a mesma importância que teve no passado para a universalização da telefonia. ?Hoje, a VU-M serve mais para subsidiar ofertas para grandes clientes corporativos?, afirmou Alain Riviere, diretor de regulamentação da Telemar.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top