OUTROS DESTAQUES
Servicos móveis
Nokia perde mercado mas mantém estratégia
segunda-feira, 14 de junho de 2004 , 05h39 | POR SÉRGIO DAMASCENO, DE HELSINKI.

O chairman e CEO da Nokia, Jorma Ollila, afirmou nesta segunda, 14, em Helsinki, na Finlândia, que a estratégia da empresa permanecerá a mesma, a despeito de o market share global e da América Latina ter sido reduzido para a companhia. Ollila recusou-se a comentar a perda mundial que passou de cerca de 40% para aproximadamente 32% de share atualmente, segundo pesquisa do Strategy Analysis. A perda de participação na América Latina não foi revelada. As demais estratégias da Nokia, segundo o CEO, estão no esforço para trabalhar o portfolio em áreas-chave (como o middle range, por exemplo) e o processo de adaptação dos produtos às operadoras.
A Nokia anunciou também o lançamento de vários aparelhos celulares, do básico ao smartphone, com preços que vão de ? 100 a ? 500 (aproximadamente entre R$ 400 e R$ 2 mil). A grande inovação da empresa é o modelo clamshell (do tipo concha, com flip) que nunca havia feito parte do seu portfolio. Na previsão do vice-presidente executivo da Nokia, Matti Alahuhta, a penetracão mundial deve chegar a 24% até 2007, com cerca de 2 bilhões de assinantes globais. O Brasil, atualmente o 9º mercado mundial da Nokia, figura, ao lado da Índia, China e Rússia, como um dos mercados que estarão no foco da companhia. Os executivos falaram para mais de duas centenas de jornalistas durante o evento Nokia Connection 2004, que acontece nesta segunda-feira e terça-feira.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top