OUTROS DESTAQUES
Desempenho
Balanços indicam boa saúde financeira das teles
quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2004 , 20h08 | POR SÉRGIO SISTER

Os resultados da Telesp Fixa foram muito bons, os da Embratel razoáveis. E mesmo considerando que os números da Brasil Telecom e da Telemar tenham vindo um pouco abaixo das expectativas, o fato é que, na visão de analistas ouvidos por TELETIME News, o setor de telecomunicações do País está se dando bem. Tanto que as companhias estão se dando ao luxo ? muito apreciado pelos analistas e investidores ? de lançar fortes provisões para todas as eventualidades que possam influir negativamente no fluxo de caixa.
Ou seja: o destaque desta safra de balanços são as provisões, que acabaram rebaixando as margens de EBITDA de quase todas as empresas.
A Telemar já tinha resolvido incluir toda a Oi dentro da companhia, o que implicou uma redução da margem para 43,7%. Sem isso, ficaria em 49%.
A Brasil Telecom fez provisões para contingenciamento referentes a questões trabalhistas e reclassificações contábeis que fizeram a margem recuar para menos de 30%. A margem efetiva seria de 45,3%.
O caso mais recente foi o da Telesp, cuja margem caiu de 46% para 40,7%, principalmente devido a fortes provisões para questões trabalhistas. Jacqueline Lison, da Fator, calcula que, tirando as despesas não recorrentes, essa margem seria de 47,6%.

Brasil Telecom

Mesmo levando em conta as provisões, ainda tem intrigado alguns analistas ouvidos por TELETIME News a relativamente reduzida margem de EBITDA da Brasil Telecom face à concorrência. Com volume de investimentos menores, a margem deveria, em tese, ser maior que o de suas concorrentes.
A resposta pode estar nos custos de atividades terceirizadas, como manutenção de rede e call center. De fato, esses custos são crescentes. Em 2003, por exemplo, saltaram de R$ 290,3 milhões (29% das despesas) no primeiro trimestre, para R$ 363 milhões no quarto (33,6% das despesas). O aumento em um ano foi de 20,9%.
A Brasil Telecom, que tem 9,8 milhões de linhas instaladas, gastou mais nesse item que a Telesp Fixa, com 12,38 milhões de linhas em serviço (R$ 340 milhões) e relativamente mais que a Telemar, com 15,1 milhões de linhas em uso (R$ 545 milhões).

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top