OUTROS DESTAQUES
Telefonia móvel
Portabilidade afeta margens de lucro nos Estados Unidos
quarta-feira, 28 de Janeiro de 2004 , 20h32 | POR REDAÇÃO

Com base nos resultados trimestrais de duas das maiores operadoras de celulares dos Estados Unidos (AT&T e Cingular) já é possível dizer que foi relativamente pequeno o impacto da portabilidade numérica sobre as bases de assinantes das companhias norte-americanas. Christine Nuzum, da Dow Jones Newswires observa, porém, que as mudanças provocaram perdas nas margens de lucro das carriers.
De fato, a AT&T registrou um aumento de 3,3% na taxa de churn ? em boa parte devido a problemas técnicos na sua nova rede GSM. Já a Cingular manteve praticamente estável o churn de 2,8%.
No entanto, todas as companhias foram obrigadas a fazer fortes gastos para manter a clientela. Gastos em propaganda e marketing, descontos e subsídios para a troca de aparelhos. A receita média por assinante da Cingular caiu US$ 2,81 em relação ao ano anterior.

Consolidação

O segmento de telefonia celular continua crescendo aos olhos dos investidores norte-americanos. Em janeiro, até o dia 27, a valorização média foi de 14,76% contra uma alta acumulada do índice Dow Jones de apenas 1,76%.
Duas das estrelas da onda de valorização são a AT&T e a NII. No caso da AT&T, em boa parte, deve-se à sua anunciada venda. A novidade, segundo o Wall Street Journal desta quarta-feira, 28, é que a companhia vai se definir sobre a venda da operadora até o próximo dia 29 de fevereiro.
A Merrill Lynch, que está tratando da operação, enviou carta a vários potenciais compradores (incluindo a Cingular, Nextel, Vodafone e NTT DoCoMo) dizendo que o prazo para propostas termina no dia 13, sexta-feira.
A oferta mais forte até aqui conhecida é da Cingular (associação da SBC com a Bell South): estaria disposta a desembolsar US$ 30 bilhões.
Já a valorização da NII (43,7% no ano) deve-se aos bons resultados de seus negócios na America Latina (Brasil, Argentina, México, Chile e Peru). A companhia opera no Brasil a Nextel, com cerca de 400 mil assinantes na Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG) e nas regiões Campinas (SP), São José dos Campos (SP) e Baixada Santista (SP).

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top