OUTROS DESTAQUES
Aquisições
Telesp vai à Justiça contra CVM; ações caem na Bolsa
terça-feira, 13 de Janeiro de 2004 , 18h01 | POR REDAÇÃO

A Telesp Celular Participações (TCP) anunciou que vai entrar com uma ação judicial contra a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para tentar reverter a posição da autarquia que considerou irregular a incorporação acionária da Tele Centro-Oeste Celular (TCO) pela TCP. Por enquanto, fica cancelada a operação e, segundo o presidente da Vivo, Francisco Padinha, mesmo que eles consigam reverter a decisão da CVM, isto não significa que irão incorporar a TCO nos termos atuais.
Segundo o diretor de relações com investidores da TCP, Fernando Abella, a companhia decidiu entrar na Justiça para provar que as condições que estava propondo aos minoritários eram eqüânimes e vantajosas, tanto para os acionistas da TCP quanto da TCO. Ele não deu nenhuma informação extra sobre a ação judicial.
Abella lembrou que a comissão técnica da CVM, em novembro, não encontrou nenhuma irregularidade na operação e que a relação de troca proposta (1,27 ação da TCP para cada ação da TCO) foi avaliada por duas instituições, o Citigroup e a Merrill Lynch.
O executivo afirmou que a companhia optou pelo cancelamento da incorporação para evitar que ações de minoritários na justiça comum fossem embasadas no parecer da CVM.
Francisco Padinha afirmou que o fracasso da incorporação não trará impacto para usuários ou para as operações da empresa. ?Teremos perdas na sinergia administrativa, mas não nas questões operacionais e continuaremos investindo em todas as empresas Vivo?. A previsão de investimento é de R$ 1 bilhão por ano até 2006.

Mercado acionário

As ações de ambas as companhias tiveram queda assim que o mercado recebeu a notícia de cancelamento da incorporação, principalmente nas ações preferencias da TCO (9 pontos, enquanto a da TCP caiu 4 pontos) porque se esperava, com o parecer da CVM, que a TCP fizesse uma nova oferta, mais alta, pela troca de ações.
Porém, alguns analistas consideram que na verdade a TCP será a maior prejudicada com esse cancelamento e o mercado acionário irá perceber isso nos próximos dias. ?A TCP pagou um preço alto pelo controle, mas agora tem apenas 33% dos ativos da TCO, além disso, a empresa perde por não ter a sinergia esperada, isto é, terá que manter dois papéis em São Paulo e Nova York, relatórios diferentes e atendimento separado para os analistas?, revela um analista que pediu para não ser identificado.
Os analistas também consideram que a decisão da TCP de cancelar a operação mostra que, na verdade, a operação não era realmente justa para os minoritários. ?A posição da CVM foi dura e, no mínimo, estranha porque considerou a operação injusta, porém não contra a lei?. A mesma fonte, lembra que a autarquia adiou seu parecer diversas vezes, usando a burocracia, para claramente, estender a operação. ?A Telesp encontrou alguma brecha legal para oferecer a troca de ações nessas condições, por isso a CVM deveria, na verdade, mudar a lei e não dar um parecer agora que contradiz a legislação?, diz um analista. O mínimo considerado justo é de 1,60 ação da TCP para cada ação da TCO.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top