OUTROS DESTAQUES
Operacional
Oi investe em projeto para lidar com base devedora
sexta-feira, 20 de outubro de 2017 , 20h49 | POR BRUNO DO AMARAL, DE MIAMI, A CONVITE DA WEDO

Lidar com base de devedores é um desafio não apenas financeiro, mas operacional na Oi. A empresa conta com 2,8 milhões de suspensões de contrato por mês, considerando tanto desligamentos parciais como totais. Realiza ainda 200 milhões de inclusões em cadastro negativo mensais com 7,7 milhões de comunicações por mês, incluindo SMS, cartas e voicers. Para lidar com isso, investe em um projeto que promete melhorar os processos de automação e controle.

"Quanto mais a gente faz, mais a gente descobre que precisa fazer", declara o gerente de TI da Oi, Fábio Glaser. Ele ressalta que está consolidando sistemas para migrar clientes para a nova solução Oi Total, que representa maior fidelidade. A companhia iniciou um projeto de 12 meses para efetuar mudanças menores na arquitetura e realizar "alguns upgrades", capaz de lidar com mais de 12 mil usuários (em vez dos 2,5 mil atuais) e ficar pronto para 35 milhões de consumidores. "Além disso, temos mais de 80 novos requerimentos de negócios", declara.

"Temos que considerar o risco do consumidor, fazer cluster de segmentos para estratégias de cobranças para acessar o cliente", conta o gerente sênior de crédito e cobrança da companhia, Leonardo Botelho. "Tentamos da melhor forma possível utilizando sistemas internos e inteligência do time para separar clientes que vão ser devedores dos que são apenas pagadores atrasados", explica. Para tanto, a companhia realiza ações mesmo antes da data de vencimento, de forma automática, com contatos por meio de diferentes canais. Na visão de Botelho, seria necessário também um ambiente regulatório mais simples para permitir haver economia nos custos associados ao processo de cobrança.

A preocupação tem fundamento nos dados macro do Brasil. Segundo informações apresentadas por Botelho, o País conta com 60 milhões de pessoas no negativo, o que representa cerca de 40% da população adulta. E telecomunicações é o terceiro setor com mais devedores, com 13% da base, perdendo apenas para banco (49%) e varejo (20%). "Além disso, telecom tem baixa prioridade de pagamento de devedores", declara.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. Erick disse:

    Sempre atraso os pagamentos a Oi… mas sempre pago. Como a base de clientes da Oi é a que mais sofre com o desemprego e a queda na renda, a Oi está sofrendo mais com a crise.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top