OUTROS DESTAQUES
Internet
Banda larga em outros países oferece franquias maiores, mas há limites
quarta-feira, 20 de abril de 2016 , 17h47

Enquanto o debate sobre a adoção de franquias limitadas na Internet fixa começa no Brasil, nos Estados Unidos em outros países há algum tempo as operadoras oferecem essa modalidade de cobrança. Em comum com outras empresas em mercados internacionais, as operadoras brasileiras têm as velocidades oferecidas (que variam de acessos de menos de 2 Mbps a velocidades superiores a 100 Mbps), a tecnologia (xDSL, fibra e cabo) e o empacotamento de serviços de dados com voz, vídeo e celular. Mas há uma diferença crucial entre o que acontece no Brasil e o que acontece fora, pelo menos nos mercados mais desenvolvidos: o tamanho das franquias. Fora do Brasil, muitas operadoras oferecem franquias, mas raramente elas são inferiores a 100 GB por mês. Em comparação, as franquias no Brasil começam em 30 GB (Net), 50 GB (Vivo) e 60 GB (Oi). Nos EUA, o plano de entrada da AT&T, com uma velocidade de apenas 3 Mbps e uma tecnologia defasada (ADSL), a franquia começa em 150 GB. A concorrente Verizon oferece planos sem franquia. A Comcast, que é a maior operadora de cabo nos EUA, começa com franquias a 300 GB.

No Canadá, os planos da Bell Canada começam a 75 GB de franquia com 15 Mbps de velocidade. Outras operadoras locais, como a Novus, partem de 250 GB. Na Austrália, a franquia mais baixa da Telstra (maior operadora daquele país) é de 100 GB, podendo ir a mais de 1 TB dependendo da velocidade contratada. No Chile, a Movistar, da mesma controladora da Vivo, pratica franquias de 500 GB e na Alemanha a Vodafone começa em 300 GB de franquia.

No caso das teles brasileiras, algumas informações não são achadas de forma fácil, mas estão lá. Todas as quatro maiores (Net, Oi, TIM e Vivo) fornecem inclusive as taxas de velocidade de download e upload, enquanto no caso das norte-americanas a informação nem sempre é disponibilizada, como no caso da AT&T e Comcast. Por outro lado, nenhuma das operadoras brasileiras pesquisadas exibia de maneira clara algum tipo de calculadora de consumo de dados, tanto para previsão de que plano escolher quanto para o já consumido, caso seja cliente.

No cerne da polêmica, a Vivo, agora com a GVT totalmente incorporada, oferece na sua recém implantada modalidade de franquia  até 300 GB. É interessante comparar que as velocidades mais baixas, a partir de 2 Mbps, são ofertadas com 50 GB, passando para 100 GB com 8 Mbps.

Na Oi, a franquia inicial é de 60 GB mensais para conexões de 2 Mbps. Por outro lado, é a que oferece menor franquia no plano mais caro: para 35 Mbps, a franquia é de 130 GB mensais. A i é predominantemente uma operadora de banda larga em xDSL, o que tem maiores limitações do que a fibra. A Oi divulga em contrato que a redução de velocidade, quando atingida a capacidade máxima contratada, é para 300 kbps, sem possibilidade de adicionar gigabytes até que a fatura "vire".  A companhia destaca que a franquia será ilimitada até o dia 30 deste mês, mas a cautelar da Anatel nesta semana a proíbe de cortar o acesso até pelo menos junho.

A Net, por outro lado, sempre trabalhou com franquias. Seus planos oferecem a menor franquia inicial entre as operadoras (30 GB para o acesso de 2 Mbps) e a maior (500 GB para o acesso de 500 Mbps) entre todas as que utilizam esse modelo. A Live TIM é a única das grandes a não implantar limite mensal de consumo de dados.

Plano de Serviço Tecnologia Franquia  Download Upload
Vivo Internet 4 Mbps xDSL 50 GB 4 Mbps 600 Kbps
Vivo Internet 8 Mbps xDSL 100 GB 8 Mbps 600 Kbps
Vivo Internet 10 Mbps xDSL 100 GB 10 Mbps 600 Kbps
Vivo Fibra 15 Mbps FTTx 120 GB 15 Mbps 1 Mbps
Vivo Fibra 25 Mbps FTTx 130 GB 25 Mbps 1 Mbps
Vivo Fibra 50 Mbps FTTx 170 GB 50 Mbps 5 Mbps
Vivo Fibra 100 Mbps FTTx 220 GB 100 Mbps 50 Mbps
Vivo Fibra 200 Mbps FTTx 270 GB 200 Mbps 100 Mbps
Vivo Fibra 300 Mbps FTTx 300 GB 300 Mbps 150 Mbps
Oi 2 Mbps xDSL 60 GB 2 Mbps 512 kbps
Oi 5 Mbps xDSL 70 GB 5 Mbps 512 kbps
Oi 10 Mbps xDSL 90 GB 10 Mbps 512 kbps
Oi 15 Mbps xDSL 110 GB 15 Mbps 1 Mbps
Oi 20 Mbps xDSL 110 GB 20 Mbps 3 Mbps
Oi 25 Mbps xDSL 130 GB 25 Mbps 3 Mbps
Oi 35 Mbps xDSL 130 GB 35 Mbps 3 Mbps
Net 2 Mega HFC 30 GB 2 Mbps 500 kbps
Net 15 Mega HFC 80 GB 15 Mbps 2 Mbps
Net 30 Mega HFC 100 GB 30 Mbps 2 Mbps
Net 60 Mega HFC 150 GB 60 Mbps 3 Mbps
Net 120 Mega HFC 200 GB 120 Mbps 4 Mbps
Net 500 Mega FTTH 500 GB 500 Mbps 100 Mbps
Live TIM 35 Mega FTTc Ilimitado 35 Mbps 20 Mbps
Live TIM 50 Mega FTTc Ilimitado 50 Mbps 30 Mbps
Live TIM 70 Mega FTTc Ilimitado 70 Mbps 30 Mbps
Live TIM 90 Mega FTTc Ilimitado 90 Mbps 30 Mbps
Live TIM Extreme FTTX Ilimitado 1 Gbps 500 Mbps

Internacional

Os dados da AT&T se referem à tabela atualizada com novas franquias a partir de 23 de maio. De acordo com a operadora, os planos "oferecem mais dados do que a maioria dos consumidores usa". Na página da empresa há vídeo instrutivo, calculadora de dados, ferramenta para checar o uso (o que também pode ser feito por meio do aplicativo myAT&T) e "dicas para gerenciar o uso dos dados", que inclui explicações sobre como utilizar a suíte de segurança oferecida (em parceria com a McAfee) e monitorar o tempo de uso e atividade de cada membro da família. A tecnologia utilizada depende da localidade: o U-verse atende com fibra até o gabinete (FTTN) ou fibra até a residência (FTTH), oferecendo ainda telefone por IP e TV paga por meio de IPTV. A empresa oferece ainda o adicional de 50 GB por US$ 10.

A Verizon oferece Internet ilimitada com o Fios. Toda a publicidade da conexão é baseada no fato de utilizar FTTH em vez de cabo – por isso mesmo, a operadora oferece taxas simétricas de downlink e uplink. Assim como no caso da AT&T, a Verizon oferece IPTV e TV por IP. Os contratos são de dois anos.

A Comcast utiliza tanto a tecnologia FTTx quanto a HFC, inclusive prometendo para este ano o uso do DOCSIS 3.1 para "alcançar velocidades em gigabit". A operadora utiliza franquias, mas a informação é difícil de ser encontrada no site. A empresa afirma estar testando novas quantidades de dados por mês, com 300 GB/mês em toda a área de cobertura menos em Tucson, no Arizona, onde também oferece planos com 350 GB, 450 GB e 600 GB, de acordo com a velocidade escolhida. Em todos os lugares, oferece possibilidade de banda adicional: 50 GB por US$ 10. Para quem quiser consumo ilimitado, há o Unlimited Data Option (não válido para planos com franquia de 300 GB), no qual é cobrada uma taxa adicional de US$ 30 a US$ 35. A operadora informa, no entanto, que o Unlimited Data Option é um teste e que "pode ser descontinuado a qualquer momento". Há ainda uma modalidade chamada "Flexible Data Option" para usuários que consomem menos de 5 GB por mês.

A Time Warner Cable oferece franquia de dados de acordo com a localidade. Não há indicação no site em momento algum que a operadora adota essa prática, mas apenas ao se buscar no contrato de assinatura. "Se você não tem certeza se o seu serviço HSD (dados de alta velocidade, a banda larga em si) tem um limite de uso ou como monitorar seu uso de dados, contate seu escritório local da TWC". Mesmo procedendo para o contrato de um plano, o consumidor não recebe nenhuma informação a respeito de uma eventual franquia. Há a opção de franquia ilimitada, pelo menos de acordo com a sessão de perguntas frequentes (FAQ) da empresa.

EUA

Plano de Serviço Tecnologia Franquia  Download Upload
Verizon Fios FTTH Ilimitado 50 Mbps – 500 Mbps 50 Mbps – 500 Mbps
AT&T  DSL xDSL 150 GB N.D. N.D.
AT&T U-verse FTTx 300 GB 768 Kbps – 6 Mbps N.D.
AT&T U-verse FTTx 600 GB 12 Mbps – 75 Mbps N.D.
AT&T U-Verse FTTx 1 TB 100 Mbps – 1 Gbps N.D.
Comcast Xfinity FTTx 300 GB – Ilimitado 10 Mbps – 150 Mbps N.D.
TWC Everyday Low Price HFC N.D. 2 Mbps 1 Mbps
TWC Basic HFC N.D. 6 Mbps 1 Mbps
TWC Standard HFC N.D. 15 Mbps 1 Mbps
TWC Turbo HFC N.D. 20 Mbps 2 Mbps
TWC Extreme HFC N.D. 30 Mbps 5 Mbps
TWC Ultimate HFC N.D. 50 Mbps 5 Mbps
TWC HFC N.D. 300 Mbps N.D.

Outros países

País Operadora Plano Franquia Velocidade
Canada Bell Fibe 15 75 GB 15 Mbps
Canada Bell Fibe 25 125 GB 25 Mbps
Canada Bell Fibe 50 250 GB 50 Mbps
Canada Bell Fibe 150 250 GB 150 Mbps
Canada Bell Fibe 300 750 GB 300 Mbps
Canada Bell Gigabit Fibe Ilimitado 940 Mbps
Canada Congeco 70 GB
Canada Congeco 140GB
Canada Novus 250 GB
Canada Novus 1 TB
Austrália Telstra Básicos 100 GB
Austrália Telstra Família 500 GB
Austrália Telstra Heavy users 1 TB
Austrália Optus 200 GB
Alemanha Vodafone 300 GB
Alemanha Vodafone 1 TB
Andorra Andorra Telecom 200 GB 100 Mbps
Nova Zelândia Slingshot Ilimitado
Nova Zelândia Slingshot 150 GB
Nova Zelândia Slingshot 100 GB
Chile Movistar 500 GB
COMENTÁRIOS

5 Comentários

  1. Artur Mendes disse:

    Bruno,

    Como voce deve saber, nos Estados Unidos, existem pelo menos 30 grandes players. Isso sem falar no Google Fiber, que corre por fora, oferecendo um cardapio de combos que variam da internet gratis, a combos praticamentes ilimitados por 120 dolares. Num pais como o nosso, onde reinam 4 operadoras que almocam e jantam com o Rezende, perdendo receita morro abaixo e com 3% de fibra, da pra entender o afã na mudanca na modelagem de cobranca.

  2. Leonardo disse:

    Otimo artigo. É o que eu venho falando há algum tempo em forums e em outros artigos: o problema não é ter franquia, mas sim a mesma ser justa.

    Se as empresas querem usar o argumento que a franquia é "tendência mundial", então que disponibilizem uma Franquia Justa, pois como seu artigo demonstra, também é "tendência mundial" disponibilizar franquias muito, muito maiores do que as empresas brasileiras querem impor.

  3. Eduardo Taddei disse:

    Considerando que sem a existência de franquias só serão comercializados planos ilimitados, os usuários passarão a ter que contratar planos mais caros. Se meu uso mensal consome no máximo 100GB, um plano de 20Mbps com franquia de 120 ou 150GB me atenderá plenamente e com certeza será bem mais barato do que um plano de 20Mbps ilimitado.
    O que me parece é que quem usa muito quer pagar o mesmo do que quem usa pouco. Não acho justo penalizar os que usam menos para atender os que usam muito.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top