OUTROS DESTAQUES
Metas de qualidade: índices de chamadas completadas estão bons?
quarta-feira, 19 de janeiro de 2000 , 22h14 | POR REDAÇÃO

De acordo com as regras da Anatel, as chamadas completadas são aquelas em que se produz comunicação. Deste modo, na medição do índice ficam de fora as chamadas em que o telefone não responde ou dá sinal de ocupado. Também são excluídas as chamadas que foram interceptadas por qualquer razão (número inexistente, por exemplo) e as chamadas que não se completaram por congestionamento. Os resultados do cumprimento das metas de qualidade divulgados ontem mostram índices de chamadas completadas muito bons. Mas em todas as reuniões gerenciais promovidas pela Anatel, a reclamação principal das empresas estava relacionada com estas taxas. É curioso que a maioria das empresas tenham resolvido seus problemas neste quesito tão rapidamente, o que gera algumas questões: Será que foram utilizados os mesmos critérios de aferição em todas elas? Também é curioso observar que as taxas da Embratel (apenas de longa distância) estão todas abaixo das metas. Como o transporte das ligações entre regiões é feito pela Embratel, como é possível que a operadora local apresente índices maiores que os da transportadora? Parece que a Anatel terá que checar os critérios das teles na hora de medir o índice.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top