OUTROS DESTAQUES
Serviços móveis
Cielo lança solução de POS via smartphone; Claro e TIM distribuirão
terça-feira, 18 de setembro de 2018 , 18h35

(Matéria originalmente publicada por Mobile Time) Uma das maiores reclamações dos usuários de máquinas móveis de POS (mPOS) é a dificuldade de emparelhamento com o smartphone, assim como a demora de conexão para a realização das transações. A Cielo decidiu criar um produto que é dois em um, ou seja, é smartphone e é também máquina de POS. Por meio de uma parceria com a Quantum, da Positivo, desenvolveu a Lio+. Trata-se de um smartphone que vem com uma máquina de POS acoplável por meio de um snap magnético. Assim, o lojista pode usá-la como celular quando quiser, e como máquina de pagamento sempre que precisar.

O produto está sendo vendido em 12 parcelas de R$ 89,90. Se considerados os preços de um smartphone de gama média e de uma máquina de mPOS, o preço da Lio+ é cerca de 20% mais barato. Uma novidade que chama a atenção é que a Lio+ será distribuída também por operadoras celulares, começando pela Claro e pela TIM. É a primeira vez que uma máquina de POS é vendida pelas teles.

A Lio+ vem com aplicativos de gestão da Lio embarcados. A interface do lojista é a tela do celular. A senha do consumidor, por sua vez, é digitada no teclado da máquina de POS.

A Lio+ é um smartphone Android 8.1, com tela de seis polegadas, chipset quadcore, câmera traseira de 12 MP e frontal de 8 MP, 16 GB de armazenamento, entrada para dois SIMcards e bateria de 3 mil mAh.

Cabe ressaltar que a máquina de POS da Lio+ não tem leitor de tarja magnética e nem é compatível com NFC nesta primeira versão, o que significa que não pode receber pagamentos por Samsung Pay e nem por Apple Pay.

O parque de máquinas de POS da Cielo está sendo atualizado remotamente no Brasil inteiro para incorporar uma nova solução de pagamento móvel criado pela rede de adquirência. Trata-se da QR Code Pay, que consiste na geração de um QR Code na tela da máquina de POS para que seja lido pela câmera do smartphone do consumidor. O código é dinâmico, mudando a cada transação, o que lhe confere mais segurança que ferramentas com QR code estático. A combinação de três características do serviço faz com que seu potencial de adoção seja maior que aquele de outros de m-payment lançados até agora no País: 1) já nasce aceito em mais de 1 milhão de estabelecimentos comerciais que possuem POS da Cielo; 2) funciona em qualquer smartphone com câmera; 3) funciona com qualquer cartão de crédito ou débito das bandeiras Visa, Mastercard, Elo e American Express, independentemente do banco emissor.

"Carteiras digitais viabilizaram o pagamento pelo celular. Mas essa tecnologia atinge poucas pessoas: está limitada a representar no máximo 7% de todas as transações feitas no Brasil, considerando as restrições de fabricantes, aparelhos compatíveis e agentes envolvidos em cada ecossistema", comparou Danilo Caffaro, vice-presidente de produtos, novos negócios, marketing e inovação da Cielo, durante evento de lançamento do QR Code Pay, nesta terça-feira, 18, em São Paulo. "O QR Code Pay, por sua vez, é uma solução aberta, democrática, escalável e acessível para todos. Para ser digital de verdade tem que ser digital para todo mundo. Independe do cartão ou da tecnologia do celular. Basta ter um aparelho com câmera", completou. O executivo comentou que desconhece outra solução do gênero no mundo.

Até o fim de outubro todas as máquinas de POS da Cielo estarão atualizadas para receber pagamentos com QR Code Pay. E até o final do ano será a vez das máquinas TEF e do comércio eletrônico.

Como funciona

O lojista deve primeiro digitar o valor da compra na máquina de POS. Depois, escolhe entre crédito ou débito. E, por fim, seleciona a opção de pagamento por QR Code, que será mais uma além das tradicionais de inserir, passar ou aproximar o cartão. Concluído esse passo a passo, um QR Code criado especificamente para aquela transação será exibido na tela da máquina. O consumidor, por sua vez, precisará abrir um aplicativo compatível com a solução QR Code Pay da Cielo, no qual já terá cadastrado o seu cartão de crédito ou débito. Através do app, abrirá a câmera e a apontará para o código na tela do POS. É preciso que tanto o smartphone quanto a máquina de POS estejam conectados à Internet. A autenticação para o pagamento é feita pelo app do consumidor, em geral usando leitura de digital. A compra é tratada como uma transação presencial, sem nenhuma cobrança adicional.

"É mais fácil que pagar com cartão. É simples como tirar uma foto. Mirou, pagou", resume o vice-presidente da Cielo.

A solução nasce com sete apps compatíveis, a começar pelo Cielo iD (AndroidiOS), desenvolvido pela própria Cielo. Além dele, os apps do Banco do Brasil, Bradesco, PicPay, Livelo, Alelo e Agibank ganharão botões para pagamento com QR Code Pay. Ao todo, esses apps somam mais de 40 milhões de usuários. A Cielo disponibiliza também uma API para que outros parceiros se integrem ao QR Code Pay.

A Cielo pretende criar no futuro uma versão em que o QR code é gerado pelo smartphone do consumidor e lido por uma câmera no POS. Neste caso, somente a máquina de POS precisará estar conectada à Internet.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top