OUTROS DESTAQUES
Mercado
Analistas avaliam impacto da venda da Telemig
quarta-feira, 18 de julho de 2007 , 19h37 | POR ANA LUIZA MAHLMEISTER

Nesta quinta-feira, 19, a Telpart Participações, controladora da Telemig e Amazônia Celular, vai analisar as propostas recebidas esta semana pelas duas operadoras. A Telemig, que tem 30% de participação do mercado mineiro de telefonia celular, seria alvo de ofertas da Vivo, Claro e Oi. Para a Vivo o negócio é particularmente atraente para finalmente obter presença na região, além de resolver seu problema de roaming. A Claro ganharia liderança no número de clientes, e a Oi se aproveitaria da boa rentabilidade da Telemig.
O valor depende de como a Telpart vai precificar as ações ON, explica o analista Roger Oey, do Banif Primus. As ações de controle (um terço da empresa) e o pagamento de tag along são avaliados em torno de US$ 900 milhões. As ações PN que representam os dois terços restantes são avaliadas entre US$ 600 e US$ 700 milhões.
Beatriz Batelli, do banco Brascan avalia que o preço do assinante da Telemig Celular seria de US$ 430, consolidando um valor de venda de US$ 3 bilhões pela totalidade das ações (preferenciais e ordinárias). Um dos cenários possíveis, segundo a analista, é um prêmio de 25% pelas ações preferenciais com um tag along apertado, ou seja R$ 11,05 por ação ordinária e um tag along de R$ 9,02 por ação. Um segundo cenário possível é o não pagamento de prêmio pelas ações preferenciais e um pagamento maior para as ordinárias. Para a analista, tanto os fundos quanto o Opportunity têm intenção de venda. As ações da Telemig Participações ON e PN fecharam em queda hoje na Bovespa: – 3,11% e – 2,99% respectivamente. A ON fechou a R$ 10,60 e a PN em R$ 5,18.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top