OUTROS DESTAQUES
Balanço
Globo tem piora nas receitas e resultados operacionais em 2015, mas aumento no lucro
sexta-feira, 18 de março de 2016 , 12h16

O Grupo Globo divulgou nesta sexta, 18, o balanço da Globo Comunicações e Participação referente ao ano de 2015. A receita líquida das empresas do grupo foi de R$ 16,04 bilhões no consolidado (que inclui participações minoritárias) e R$ 11,16 bilhões na controladora. Foi uma queda de 6% na receita da controladora e pouco mais de 2% na receita líquida consolidada em relação a 2014 em valores nominais (sem contar a inflação). Os custos, incluindo vendas, publicidade e serviços, cresceram de R$ 8,5 bilhões para R$ 8,8 bilhões no resultado consolidado, mas tiveram uma pequena queda, de R$ 7,1 bilhões para R$ 7,06 bilhões, no resultado da controladora na comparação entre 2014 e 2015.

O resultado operacional, com isso, teve queda no ano passado. Na controladora foi de R$ 1,4 bilhão e no consolidado foi de R$ 3,4 bilhões, respectivamente 34% a menos e 16% a menos em relação aso resultados operacionais de 2014.

Aumento do lucro

O lucro líquido do grupo, contudo, aumentou significativamente em relação a 2014. Foi de R$ 3,06 bilhões, 30% maior do que no ano anterior. A principal variação no balanço que pode justificar o aumento no lucro líquido foi um aumento expressivo nas receitas financeiras, que totalizaram R$ 2,1 bilhões no resultado consolidado em 2015, contra R$ 918 milhões em 2014. O aumento se deve, entre outras coisas, à variação cambial e seu impacto sobre operações de hedge. O imposto de renda e contribuição social pagos em 2015 caíram de R$ 1,2 bilhão para RR 470 milhões no resultado da controladora e de R$ 1,995 bilhão para R$ 1,223 bilhão no resultado consolidado. Ao mesmo tempo, houve um aumento das despesas financeiras do grupo, que passaram de R$ 875 milhões para R$ 1,47 bilhão no resultado consolidado e de R$ 760 milhões para R$ 1,4 bilhão na controladora.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top