OUTROS DESTAQUES
World Web Expo forum
?Operadoras não viraram canos?, diz Mansur da TIM
terça-feira, 18 de março de 2008 , 19h22 | POR HELTON POSSETI

Com o início da possibilidade de se acessar o conteúdo da web pelo celular, surgiu uma pergunta que colocava em xeque a participação da operadora na convergência entre esses dois mundos. ?As operadoras se tornarão apenas canos??, era o que todos se perguntavam. O recente movimento desses dois negócios, no entanto, aponta para um caminho diferente. A TIM anunciou uma parceria estratégica com o Google que abrange, em um primeiro momento, o acesso ao YouTube e a ferramenta de busca no portal da operadora. A Vivo tem um acordo com a Microsoft para disponibilizar o Windowns Live ? MSN Messenger, Hotmail e Spaces ? em seus celulares. Esses dois exemplos mostram que as operadoras conseguiriam se aliar àqueles que, à primeira vista, seriam seus inimigos.
Esses foi um dos principais assuntos discutidos no painel ?Internet móvel e as redes colaborativas? do seminário World Web Expo Fórum, promovido pela Converge Comunicações e pelas revistas TELETIME, TI INSIDE e TELAVIVA, que acontece nesta terça e quarta-feira em São Paulo. Uma pergunta da platéia provocou as operadoras. O conteúdo oferecido pelos fabricantes de aparelhos – como é o caso do portal Ovi da Nokia ? ou dos players de internet não concorre com o conteúdo da própria operadora? Gustavo Mansur, gerente de conteúdo e marketing da TIM explica que não, porque sempre há a possibilida de um player agregar valor ao serviço do outro. "Não enxergamos como concorrentes. Essa discussão acontecia entre as pessoas que não são de operadora. As operadoras não viraram canos?, diz ele.
Na opinião de Fabio Freitas, gerente de conteúdo premium da Vivo, essa ?guerra? nunca existiu. ?Cada player tem sua função na cadeia de valor. Ninguém vai ter sucesso se não trabalharmos juntos. Não tem guerra, haja vista todas as parcerias do mercado?, diz ele. Já Fiore Mangone, diretor da área de software e serviços da Nokia, explica que o Ovi é uma oferta complementar ao portfólio da operadora. ?A porta principal é a operadora?, afirma. ?O Ovi é um ambiente independete da Nokia para os usuários dos aparelhos dela. Não é concorrente?, diz Mansur da TIM.
O Ovi é um portal da Nokia que oferece uma série de serviços gratuitos, como a possibilidade de se atualizar blogs e fotologs diretamente do celular. Serviço semelhante ao oferecido pelas operadoras.

Modelo de negócio

É notória a evolução do modelo de negócios usado para o serviço de internet. Hoje, as operadoras já estão oferecendo tarifas únicas (flat fee) ao lado dos tradicinais bundles de serviço. ?Nos últimos 12 meses, a TIM mudou rapidamente sua oferta de plano de dados para se adaptar. Especialmente quando começamos a trabalhar o TIM web?, diz Mansur. De acordo com Aby McMillan, CEO da Abril Digital, o modelo de negócio deve sofrer ainda uma segunda alteração com a entrada das redes de 3G. ?O modelo de negócio vai ter que mudar. Estamos conversando com as operadoras para escolher o melhor. O fato é que o modelo atual não vai existir daqui a um ano ou dois com a entrada das redes 3G?, afirma o executivo.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top