OUTROS DESTAQUES
Satélites
Eutelsat prepara instalação de equipamentos em 140 headends
terça-feira, 17 de maio de 2016 , 18h24

A estagnação da base de TV por assinatura, com queda no DTH, não desestimulou os investimentos de Eutelsat no Brasil. Segundo Rodrigo Campos, diretor geral da operadora, o lançamento do Eutelsat 65WA teve como principal potencial de mercado o vídeo, apostando, sobretudo, na expansão do mercado de TV por assinatura, bem como na migração dos canais para a alta definição e o UHD. Segundo o executivo, a operadora terminará "nos próximos meses" a implantação de equipamentos de recepção em headends de 140 operações de TV por assinatura. Com isso, a operadora diminui o custo de entrada de novos canais em seu satélite para distribuição para as operações de TV.

"O decréscimo do DTH no último ano não foi acentuado. Acreditamos que o serviço de TV por assinatura deve voltar a crescer e o DTH sempre terá uma fatia importante", diz Campos. Segundo ele, a platforma DTH deve alcançar uma base de 20 milhões de assinantes até 2020. No mesmo ano, o número de canais em alta definição no país deve atingir 627.

Banda larga

A outra grande aposta da operadora no Brasil é a banda larga. Segundo Campos, que afirma que o satélite ajudará a minimizar a falta de infraestrutura no Brasil: o país tem 65 mil comunidades rurais sem acesso à banda larga. 

A Eutelsat vendeu toda a sua capacidade de banda larga em banda Ka do satélite 65WA no Brasil para a Hughes, que será responsável pela comercialização do serviço no país. Além dos 16 feixes negociados com a Hughes, o satélite tem outros 8 em banda Ka, com cobertura em outros países da América Latina, que também já estão negociados em sua totalidade.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top