OUTROS DESTAQUES
Análise
Base móvel tem a maior queda de 2017 em novembro
quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018 , 17h54

Mesmo com o avanço constante da tecnologia LTE, a base total brasileira do serviço móvel pessoal registrou a maior queda mensal de 2017 em novembro, antes da tradicional limpeza de base que as operadoras costumam fazer no último mês do ano. Segundo dados da Anatel, o total do SMP no País em novembro era de 239,092 milhões de acessos, uma redução de 1,758 milhão de linhas (ou 0,73%) comparado a outubro. No acumulado de 12 meses, a queda foi de 9,356 milhões de conexões (ou 3,77%).

Como tem sido regular desde julho de 2015, a base 4G continua a ser a única para o consumidor final a crescer, com um avanço mensal de 3,439 milhões (aumento de 3,61%). Com 98,792 milhões de linhas, é muito provável que a tecnologia feche 2017 superando a barreira dos 100 milhões de acessos – ainda mais considerando as vendas de terminais 4G no varejo durante o Natal. Considerando o comparativo com novembro de 2016, o aumento foi de 76,08%. Vale lembrar que em outubro a quarta geração se consolidou como a tecnologia mais popular do País.

A operadora que obteve maior crescimento proporcional no mês em LTE foi a Claro, que aumentou a base em 4,72% e ficou com 22,059 milhões de acessos. Nos 12 meses, é também a empresa que registrou maior avanço proporcional, mais do que dobrando (104,64%) o total que tinha em novembro de 2016. Em adições líquidas, contudo, a Vivo foi a maior tanto no mês (1,141 milhão de linhas, ou 3,59% de crescimento) quanto no ano (13,185 milhões, ou 66,58%), o que a garante como líder no segmento, com 32,987 milhões de conexões – um terço (33,39%) do mercado total.

A segunda maior base 4G é da TIM, com 26,373 milhões de linhas, aumento de 3,34% e 69,28% no mês e no comparativo anual, respectivamente. A Oi fechou novembro com 16,296 milhões (aumento de 2,76% e 83,68%), enquanto a Nextel observou um avanço de 1,36% no mês e ficou com 1,076 milhão de acessos. No ano, contudo, o crescimento foi menor: 1,09%.

WCDMA

A tecnologia 3G é a que mais perdeu base. No mês de novembro, foram 3,869 milhões de desconexões, uma queda de 4,20%. No acumulado, já são 36,229 milhões de desligamentos, redução de 29,09%. No total, ainda são 88,319 milhões de acessos, a segunda tecnologia mais popular do País. Porém, a tendência de queda constante mostra que as operadoras têm conseguido migrar para o LTE de forma consistente.

Todas as teles apresentaram quedas em WCDMA – menos a Nextel, que adicionou 39,1 mil linhas em novembro e 152,1 mil no ano, totalizando 1,556 milhão de acessos. As demais reduziram em pelo menos 800 mil acessos no mês, com destaque para a Oi, que desligou 1,273 milhão de linhas em novembro (base total era de 14,657 milhões de conexões). A líder nessa tecnologia é a Claro, que, com 29,364 milhões de linhas, apresenta a maior redução líquida em 12 meses (10,796 milhões de desconexões).

Outras

Pelo terceiro mês consecutivo, a defasada tecnologia CDMA mostrou crescimento. Há entretanto uma ressalva: ainda no relatório de outubro, este noticiário entrou em contato com a Anatel para entender o aumento inexplicável da base. A agência informou que a variação veio da Algar, e que iria entrar em contato para verificar o motivo. Voltamos a entrar em contato pedindo maiores esclarecimentos nesta quarta-feira, 17. De qualquer forma, pelo menos na tabela do regulador, o CDMA adicionou 63,6 mil acessos em novembro (crescimento de 261,65%), totalizando 87.945 linhas. Para se ter uma ideia, em agosto do ano passado a tecnologia somava apenas 507 acessos.

Outro segmento que avançou foi a máquina-a-máquina (M2M), tanto na categoria Especial (sem interação humana) como Padrão. As bases em novembro eram de 6,327 milhões (aumento de 2,15%) e 8,737 milhões (1,44%), respectivamente.

Já a tecnologia GSM continua em queda, com redução de 4,33% no mês e de 33,40% no ano. No total, a 2G ainda conta com 33,705 milhões de acessos. Os terminais de dados em banda larga, que somavam 3,121 milhões de linhas em novembro, caíram 3,83% e 32,06% no mês e no ano.

Na divisão por modalidade de plano, as tendências também foram mantidas. O pós-pago cresceu 1,33% no mês e acumula 10,78% de avanço no ano, totalizando 86,930 milhões de acessos, ou 36,36% da base total brasileira. Já o pré-pago caiu 1,87% e 10,49%, respectivamente, encerrando o mês de novembro com 152,161 milhões de linhas, ou 63,64% do mercado.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top