OUTROS DESTAQUES
Estratégia
TIM planeja encerrar o ano com 21 data centers
terça-feira, 16 de outubro de 2018 , 21h04

Como parte do plano industrial de investimentos, a TIM tem a meta de encerrar este ano com 21 data centers, sem contabilizar os utilizados na área de TI. De acordo com o diretor de engenharia da operadora, Marco Di Constanzo, o objetivo é concluir nos próximos dois meses a ativação de 11 data centers edge, "que são periféricos, onde vamos colocar as funções de uso intensivo de tráfego" . Além desses, mais dez unidades serão de core. "Vamos virtualizar as funções de controle e de inteligência, enquanto as soluções de tráfego vão ficar mais descentralizadas para o usuário final", declarou a este noticiário após apresentação na Futurecom nesta terça, 16.

Em dois anos, o plano da TIM é totalizar 35 data centers. A companhia espera com isso aumentar a presença de servidores e evitar a necessidade de tráfego internacional, levando os conteúdos mais próximos aos cliente e melhorando a experiência de uso.

A operadora tem atualmente 16 projetos de transformação digital, dos quais quatro são de infraestrutura, com tecnologias como virtualização de funções de rede (NFV) e de rede definida por software (SDN). Os outros 12 projetos são para "mudar a vida do cliente", o que significa automatizar processos, obter decisões de modo contextual e a própria etapa de conexão. Isso tudo é transformado em indicadores (KPIs) – a TIM reporta quatro desses somente sobre a digitalização para clientes. "Nosso número de canais digitais dobrou ano a ano, nosso aplicativo Meu TIM aumentou 62% o número de usuários; e o número de interações humanas no call center baixou drasticamente", disse. A quantidade de faturas digitais, por sua vez, aumentou 36% no comparativo anual.

IoT

A tele dedica ainda estratégia para o chamado mercado "B2B2C", sobretudo em Internet das Coisas. A empresa busca oferecer soluções de automação (como ciclo de processo de manufatura, por exemplo) utilizando tecnologia de baixa latência como a futura 5G, embora também considere o LTE. Durante o painel com fornecedores de tecnologia, Marco Di Constanzo afirmou que a TIM fechou "várias parcerias" com companhias de agronegócio visando a IoT. "Estamos provendo soluções de captura de imagem com pós-processamento e envio de informação de pluviômetro, o que resulta na redução de 40% da ingestão de pesticida no produto que a gente come", declara. O diretor de engenharia da operadora afirma que espera "ter NB-IoT até o final do ano para alavancar com LTE e LTE-Advance e gerar negócios para o cliente".

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top