OUTROS DESTAQUES
Cabo submarino
Google construirá cabo submarino totalmente privado para a América Latina
terça-feira, 16 de janeiro de 2018 , 18h40

O Google anunciou a construção de um cabo totalmente privado que ligará o Chile aos Estados Unidos (pela Califórnia) em 2019 para atender à América Latina. De acordo com a empresa nesta terça-feira, 16, a intenção é tornar a rede mais robusta para serviços de Cloud, incluindo o data center chileno, que abriga a capacidade e recursos para as ferramentas de busca, YouTube e fotos, por exemplo. A companhia destaca que é a primeira empresa fora da área de telecomunicações a investir no desenvolvimento do cabo submarino internacional totalmente privado.

Em comunicado, o Google afirma que escolheu instalar o cabo na América Latina porque a região não é atendida "satisfatoriamente" pelas rotas internacionais existentes, sugerindo ainda que poderá servir de infraestrutura para projetos de universalização. "Por meio da nova infraestrutura, teremos a oportunidade incrível de receber novos negócios na nuvem e continuar avançando em nosso objetivo de longo prazo de atingir o 'Próximo Bilhão' de usuários da Internet."

A empresa justifica o investimento (de quantia não informada) privado pela "flexibilidade para tomar decisões", o roteamento de dados e otimização da latência. "Ao construir uma infraestrutura totalmente privada, diminuímos o número de partes envolvidas, simplificamos o processo de instalação e reduzimos o tempo para que o cabo esteja pronto e funcional. Globalmente, esse tipo de conexão também nos permite planejar novas regiões para o Google Cloud Platform."

O cabo chileno foi batizado de Curie – uma homenagem à cientista Marie Curie, que liderou pesquisas pioneiras em radioatividade e é a única a receber o Prêmio Nobel em duas áreas diferentes: física e química. O sistema submarino é o primeiro a chegar diretamente ao Chile em quase 20 anos, e deverá se tornar o maior "tubo de dados" do País quando inaugurado.

Mais infraestrutura

A companhia promete mais cabos submarinos no mundo, tanto de forma privada como parte de consórcios. Na verdade, o cabo que conectará o Chile aos Estados Unidos é um dos três anunciados nesta terça-feira: o Havfrue conectará os EUA à Dinamarca e Irlanda no final de 2019 e será construído em consórcio; e o Hong Kong-Guam Cable System (HK-G), também em consórcio e que interconectará "grandes hubs submarinos de comunicações na Ásia". A ideia é melhorar a rede onde transita 25% do tráfego mundial de Internet.

O Curie será o nono cabo submarino instalado pela companhia no mundo, embora seja o primeiro totalmente privado. A rede mundial do Google conta com mais de cem pontos de presença, mais de 90 redes de distribuição de conteúdo (CDNs) e 7.500 nós são conectados por uma infraestrutura de oito cabos submarinos atualmente em operação (incluindo os brasileiros Monet e Junior) e "milhares de quilômetros" de fibra ótica.

Além dos cabos, o Google está inaugurando mais cinco regiões com a Cloud Plataform (São Paulo já é um dos mercados onde a companhia conta com a plataforma desde o ano passado). As novas unidades serão inauguradas no primeiro trimestre de 2018 na Holanda e em Montreal, que serão seguidas por Los Angeles, Finlândia e Hong Kong.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top