OUTROS DESTAQUES
Tratamento diferenciado para incumbent e "aspirantes"
sexta-feira, 14 de abril de 2000 , 17h03 | POR REDAÇÃO

A própria lei já é diferenciada, ou seja, as incumbents espanholas têm legislação específica, diferenciada das novas operadoras. A intenção, de acordo com Pina, é coibir práticas comerciais danosas ao consumidor (dumping). Na Espanha, não se cobra a concessão para que novos players entrem no mercado. O assistente do Ministério do Fomento afirma que, dessa forma, as operadoras não precisam tentar recuperar o investimento cobrando altas tarifas dos assinantes. A liberalidade do mercado espanhol é ampla o suficiente para permitir a entrada de novas operadoras a qualquer momento. Pina diz que, havendo espaço no espectro, as "aspirantes" estão livres para atuar, bastando se submeter aos critérios da Comissão do Mercado. Se não há espaço, é a Secretaria Geral que intervém e determina a operadora que ocupará a nova faixa.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Comece o ano com um debate atualizado e aprofundado sobre os principais pontos da pauta política e regulatória do setor de Comunicações para o ano de 2019, as perspectivas para o novo governo e para o trabalho da Anatel, além de discussões aprofundadas sobre o modelo de regulação por incentivos e a aplicação  e implicações da Lei de Proteção de Dados para o setor de telecomunicações.

19 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top