OUTROS DESTAQUES
Balanço financeiro
Claro Brasil fecha 2017 com queda em receita, mas aumenta EBTIDA
quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2018 , 10h48

Com aumento no desempenho do segmento móvel, mas queda no fixo, o balanço consolidado da Claro Brasil (Claro, Embratel e Net) registrou em 2017 queda na receita total, mas aumento no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBTIDA). Segundo relatório divulgado nesta quarta-feira, 14, a receita líquida total do grupo nos 12 meses foi de R$ 35,582 bilhões, recuo de 0,8%. No quarto trimestre, foi de R$ 8,950 bilhões, um avanço de 1,1% no comparativo anual. O destaque positivo foi o crescimento das receitas com serviços móveis.

A empresa diz que foi influenciada negativamente pela "substancial redução" na receita vinda de aparelhos e interconexão, que mostraram quedas de 39,7% (total de R$ 614,6 milhões) e 27,7% (R$ 972,4 bilhões) respectivamente. Considerando os três últimos meses do ano, as receitas desses dois segmentos caíram 11,6% (total de R$ 168,5 milhões) e 18,7% (R$ 186,1 milhões), também respectivamente.

A receita de serviços aumentou 1,9% no trimestre, obtendo R$ 8,596 bilhões. No ano, subiu 1,1%, total de R$ 34,265 bilhões. Dentro desse segmento, a receita fixa (inclui "outros") caiu 1,6% no trimestre (total de R$ 5,896 bilhões) e 0,8% no ano (total de R$ 23,862 bilhões) por conta da redução de serviços de voz e de DTH na TV paga. Já a móvel subiu 10,7% no trimestre (R$ 2,699 bilhões) e 5,7% no acumulado (R$ 10,403 bilhões), desempenho atribuído ao crescimento e rentabilização da base pós-paga.

O EBTIDA aumentou 15,7% nos três meses finais de 2017, totalizando R$ 2,828 bilhões. No ano, o avanço foi de 7,1%, com R$ 10,640 bilhões. A margem EBTIDA aumentou 4 pontos percentuais no trimestre (31,6%) e 2,2 p.p. no ano (29,9%).

Operacional

No balanço, a Claro Brasil afirma ter conseguido "desempenho operacional expressivo" diante de "cenário ainda instável e desafiador" no País no ano passado. Avaliou o desempenho do segmento móvel como bem-sucedido por conta do avanço de 11,1% no pós-pago, que traz maior rentabilidade. Considerando apenas acessos de handset (sem modems, tablets e M2M), houve crescimento de 15,1%. No total, incluindo todos os tipos de linhas, são 59,02 milhões de acessos móveis, equivalente a cerca de 25% do mercado brasileiro.

Na banda larga fixa, A Net e Embratel juntas têm 8,9 milhões de acessos, ou 31,2% de market share. Dessas, 2 milhões são de conexões com velocidade acima de 34 Mbps, segmento no qual a companhia diz ter 47,5% de participação no mercado. Na TV por assinatura, destaca o 51% de market share e de um bilhão de streamings da plataforma on-demand do Now.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top