OUTROS DESTAQUES
Mobile World Congress
HSPA será a tecnologia de banda larga dominante, diz AT&T
quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 , 10h32 | POR SAMUEL POSSEBON E FERNANDO PAIVA, DE BARCELONA

Apesar de ter instalado uma grande rede de fiber to the home (FTTH), o presidente da AT&T, Ralph de La Vega, não teve dúvida ao ser perguntado por este noticiário qual será a tecnologia de banda larga irá preponderar no futuro: ?A fibra é importante e deverá chegar cada vez mais nas casas dos usuários, mas o acesso wireless HSPA será dominante?. Vale lembrar que a AT&T tem hoje 2,3 milhões de assinantes de IPTV através de sua rede de fibra, 14 milhões de clientes banda larga por fibra e DSL, 62 milhões de clientes de voz por linhas fixas e 70 milhões de clientes por celular. O executivo foi um dos palestrantes principais na abertura do quarto e último dia do Mobile World Congress, em Barcelona, nesta quinta-feira, 14.

iPhone

De La Vega revelou também os números de uma pesquisa realizada com usuários do iPhone. 95% deles acessam a web do celular. ?Esse número está muito acima que qualquer outro modelo de aparelho?, afirmou o CEO da AT&T. Além disso, 30% dos usuários de iPhone da operadora entraram na internet pelo celular pela primeira vez após adquirir o modelo da Apple. E 51% viram filmes do YouTube no iPhone. Para De La Veja, o sucesso de vendas do iPhone provou que o preço só é uma barreira quando o aparelho é difícil de usar. O resultado disso é que a receita média por usuário (Arpu) cresce mais quando o assinante tem um handset que integra várias funcionalidades, como o iPhone (120% de aumento de receita) do que quando o celular tem acesso a redes 3G (o que não é o caso do iPhone). Nesse caso o crescimento é de 20% na Arpu.
A receita da AT&T com tráfego de dados na rede móvel vem crescendo ano após ano. Foi de US$ 2,7 bilhões em 2005, subiu para US$ 4,3 bilhões em 2006 e atingiu US$ 6,9 bilhões em 2007.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top