OUTROS DESTAQUES
Mercado
Telecom Italia afasta Amos Genish da presidência
terça-feira, 13 de novembro de 2018 , 09h49

(Atualizado às 16:30) Com o desempenho insatisfatório no terceiro trimestre divulgado na semana passada, a pressão interna no conselho de administração da Telecom Italia ficou insustentável e culminou na demissão de Amos Genish da presidência da companhia nesta terça-feira, 13. Em comunicado, a companhia afirma que, em reunião ocorrida pela manhã, a maioria da diretoria votou por revogar, com efeito imediato, todos os poderes conferidos ao executivo.

A controladora italiana da TIM Brasil será comandada de forma interina pelo chairman Fulvio Conti até uma nova reunião na próxima semana, dia 18, decidir o nome de um novo CEO. Em comunicado lacônico, a Telecom Italia diz: "A mesa de diretores agradece a Amos Genish pelo trabalho feito no interesse da companhia e todos os seus stakeholders nestes 14 meses de atividade intensa".

A situação de Genish ficou insustentável na empresa após o desempenho da companhia no terceiro trimestre, no qual um efeito contábil de 2 bilhões de euros deixou a italiana com prejuízo de 0,8 bilhão de euros no período. O executivo foi indicado pela maior acionista da Telecom Italia, a francesa Vivendi, mas já havia descontentamento do segundo maior acionista (mas que controla o conselho), o fundo de investimentos norte-americano Elliot, que preferia uma política de desinvestimento de ativos, incluindo a possibilidade de separação da área de infraestrutura fixa na Itália. O turbilhão interno provocou um racha no conselho de administração, o que gerou rumores constantes da saída de Genish.

A troca de comando deve ter poucos efeitos imediatos no Brasil, já que as principais movimentações estratégicas, como a compra da Nextel, foram determinadas pelo mesmo conselho que afastou Amos Genish. Recentemente, o conselho de administração da Telecom Italia anunciou que prepara uma proposta para adquirir a Nextel, agora que a Anatel aumentou o limite de espectro sub-1 GHz e sub-3 GHz. As frequências de 1.800 MHz e 2,1 GHz em 3G e 4G (além de 800 MHz ainda com outorga em serviço móvel especializado) são consideradas os principais ativos da Nextel, além da base de clientes.

Antes de assumir a Telecom Italia em setembro de 2017, Amos Genish atuava como diretor-executivo de conteúdo na Vivendi. O executivo israelense veio de uma bem-sucedida temporada no Brasil, onde presidiu a GVT (até então detida pela Vivendi) até sua incorporação pela Telefônica/Vivo. Genish passou então a presidir também a Vivo, liderando a operadora brasileira até 2016.

COMENTÁRIOS

2 Comentários

  1. Mariana disse:

    Finalmente a máscara desse senhor caiu. Não tem competência para atuar em empresas de capital aberto, só mesmo quando a empresa é de "fundo de quintal" e pode tomar suas decisões a revelia e contabilizar as operações do jeito que quer ou com base em seu próprio juízo contábil. Perdeu playboy!

  2. alvaro disse:

    Mariana,

    Respeitosamete,discordo de sua opinião.
    Administrar uma empresa, não são so flores, a situações que requer um remédio amargo para o bem maior de seus funcionarios, e ou seus acionistas, e este "senhor" possui uma das mais sensatas visão de longo prazo que ja vi.
    Excelente pessoa e profissional.
    abs

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top