OUTROS DESTAQUES
4G
Claro e Vivo ficam com as maiores faixas no leilão de 2,5 GHz
terça-feira, 12 de junho de 2012 , 13h32 | POR HELTON POSSETI E LETICIA CORDEIRO

Foi concluída a primeira etapa do leilão com a venda das faixas de 2,5 GHz nacionais atreladas à faixa de 450 MHz, que não teve proposta de preço. A Oi chegou a apresentar garantia de manutenção da proposta, mas não apresentou a proposta em si.

Claro e Vivo levaram as faixas mais cobiçadas, a W e a X, ambas de 20 MHz + 20 MHz. TIM e Oi levaram as faixas de 10 MHz + 10 MHz, V1 e V2. A Anatel decidirá posteriormente com qual delas ficará cada uma.

O maior ágio (66,6%) foi pago pela Vivo na disputa pela faixa X com a Oi. A faixa saiu por R$ 1,050 bilhão. A faixa W foi arrematada pela Claro por R$ 844,519 milhões com um ágio de 34% na disputa também com a Oi. Depois, a TIM ficou com com uma das faixas V com um lance de R$ 340 milhões, valor apenas 7,9% maior que o lance mínimo de R$ 315,096 milhões. E a outra faixa V acabou ficando com a Oi por R$ 330,851 milhões. A arrecadação total destas faixas somou R$ 2,5 bilhões.

Renúncia

As companhias que detêm a faixa de 2,5 GHz para o MMDS e tinham interesse em disputar os lotes nacionais de 4G (Vivo/Telefônica e Claro, que controla a Net) renunciaram às suas radiofrequências, cumprindo a condição imposta pelo leilão com os caps de frequência. Na primeira rodada o cap foi de 40 MHz e na segunda, que não aconteceu porque todas as faixas foram arrematadas, o cap seria elevado a 60 MHz. As empresas optaram pela renúncia com eficácia em 18 meses, conforme prevê o edital. Nesse período, as companhias deverão se desfazer das operações, com preferência de compra por aqueles que arrematarem as áreas complementares.

Cobertura rural

Como a faixa de 450 MHz não foi arrematada isoladamente, as obrigações de cobertura rural serão divididas entre os ganhadores da faixa W, X, V1 e V2. Assim, a Claro que arrematou a faixa W ficará responsável pelo cumprimento das obrigações rurais no Norte, Bahia e áreas de registro 11 e 12 em São Paulo. A Vivo, que ficou com a X, deverá atender os estados do Nordeste (menos Bahia), Minas e interior de São Paulo. O vencedor da V1 (Oi ou TIM) ficará com Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Já a obrigação da V2 é atender os estados de Rio Grande do Sul, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Além de terem obrigações, as empresas precisam ceder suas redes, remuneradamente, para que as concessionárias de STFC cumpram as obrigações do PGMU.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top