OUTROS DESTAQUES
Internacional
Trump lança estratégia para 5G nos EUA, mas sem interferência do governo
sexta-feira, 12 de abril de 2019 , 19h50

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelou nesta sexta-feira, 12, a estratégia para implantação de um plano de incentivo ao 5G. O objetivo é claro: que o país vença a corrida tecnológica pela liderança na quinta geração de redes móveis contra mercados asiáticos (especialmente China e Coreia do Sul) e da União Europeia. A disputa não será liderada pelo próprio governo: o plano é liberar mais espectro e destravar as barreiras regulatórias para infraestrutura para permitir que as próprias empresas conduzam a corrida.

Trump esclareceu que confia a tarefa às mãos do mercado. "Nos EUA, nossa abordagem é dirigida e liderada pelo setor privado", afirmou em coletiva de imprensa na Casa Branca. "O governo não tem que gastar muito dinheiro." Segundo ele, uma rede pública, como chegou a ser cogitado em rumores, não seria "nem perto de ser tão boa ou tão rápida" quanto a da iniciativa privada.

Trump também endereçou a importância geopolítica e apontou por várias vezes que há uma urgente necessidade da liderança em tecnologia móvel. "Não podemos permitir que outro país possa vencer os EUA nessa indústria. Somos líderes em várias outras e não podemos deixar isso acontecer", declarou. Neste contexto, o chefe de estado também fez referência à guerra fria tecnológica com a China. "As redes 5G devem ser seguras e fortes. Têm de ser protegidas dos inimigos, e há inimigos por aí."

Para tanto, o governo dos Estados Unidos se mobiliza para entregar maior capacidade para as demandas da nova tecnologia. O chairman da agência reguladora norte-americana Federal Communications Commission (FCC), Ajit Pai, revelou planos de fazer o maior leilão de espectro da história do país em dezembro no contexto do programa 5G Fast (sigla para o pomposo nome "Facilitate America's Superiority in 5G Technology"). Serão 3.400 MHz em três diferentes bandas ao mesmo tempo – até novembro de 2018, a FCC já havia destinado 1.550 MHz para 5G.

As frequências que deverão ser disponibilizadas são nas bandas de 37 GHz, 39 GHz e 47 GHz. A comissão já havia disponibilizado espectro em ondas milimétricas (mmWave) com a licitação da faixa de 28 GHz e, atualmente, com a de 24 GHz. Além dessas frequências mais altas, o governo dos EUA trabalha com disponibilização das faixas médias de 2,G Hz, 3,5 GHz e 3,7-4,2 GHz; e das bandas mais baixas, de 600 MHz, 800 MHz e 900 MHz. 

Como parte do plano 5G Fast, a agência deverá ainda facilitar a instalação de infraestrutura, especialmente com pequenas antenas (small cells) com a liberação de licenças em até 90 dias. Também pretende "encorajar" a implantação de fibra ótica para ser usada como backhaul para o 5G. Além disso, o FCC propõe um fundo de US$ 20,4 bilhões para promover banda larga em áreas rurais, atingindo até 4 milhões de pequenos negócios e residências na próxima década.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top