OUTROS DESTAQUES
Banda larga
Provedores e Embratel sugerem desagregação das redes
quarta-feira, 11 de julho de 2007 , 20h02 | POR CRISTIANA NEPOMUCENO

A Embratel e os pequenos provedores de internet se uniram nesta quarta-feira, 11, para dizer aos deputados da Comissão de Ciência e Tecnologia na Câmara que a desagregação das redes das concessionárias, e a possibilidade efetiva do uso dessas redes por diversos prestadores, é que irá permitir a difusão da banda larga no País.
O representante da concessionária, Ayrton Capella, foi aplaudido por provedores que estavam presentes na audiência pública convocada com o objetivo de debater o relacionamento entre prestadoras de serviços de telecomunicações e provedores de serviços de valor adicionado. ?É fundamental para o desenvolvimento e difusão da banda larga no Brasil que seja feito o que muitos países já fizeram com sucesso: a possibilidade de uso da rede existente das teles por diversos prestadores?, disse Capella.
Embora fossem aguardados, os presidentes das cinco concessionárias fixas locais não compareceram à audiência, mas mandaram técnicos para representá-los. A maioria deles, entretanto, se limitou, basicamente, a apresentar números do crescimento de banda larga e conexões discadas em suas respectivas áreas de atuação. Jarbas Valente, superintendente de Serviços Privados da Anatel, afirmou, por sua vez, que a legislação atual garante o acesso equânime e irrestrito dos provedores de valor adicionado ao mercado internet, especialmente por meio da licença de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM).

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top