OUTROS DESTAQUES
Análise Internacional
A Argentina rumo à convergência
quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018 , 21h51 | POR MIGUEL SMIRNOFF*

A aprovação pela ENACOM (Agência Nacional de Comunicações da Argentina) da fusão da Telecom Argentina com operadora de cabo Cablevisión e seu braço de Internet, a Fibertel, e ao mesmo tempo a autorização à Telefónica de Argentina e à Claro Argentina para fornecer TV paga linear em certas cidades do país, mudou a paisagem de TV por assinatura na Argentina.

Os teles já vinham oferecendo serviços de SVOD, agora estão autorizados a fornecer televisão a cabo, mas ainda não poderão fazê-lo pela DTH, seu pedido original. Até que este aspecto seja alterado, o que está em discussão, a TV por satélite linear permanecerá propriedade exclusiva da DirecTV, de propriedade da AT&T.

As decisões levaram a vários protestos: por um lado, seus concorrentes acusam o Grupo Clarín, sócio controlador da Cablevisión-Fibertel e agora da Telecom Argentina, de ter alcançado uma posição dominante no mercado de quadruple play. Na Telecom Argentina, a presença do empresário mexicano David Martínez, diretor do Fintech Advisory, com sede em Delaware, Estados Unidos, e comprador da participação da Telecom Italia na Telecom Argentina em 2013, também é um dado importante. Além disso, até a fusão, Martínez era um parceiro da Cablevisión com 40% do MSO.

Operadores de cabo independentes – estima-se que existam 700 em diferentes cidades pequenas e médias da Argentina – pediram para adiar a entrada, e e também têm sido um fator limitante na definição de áreas de serviço para teles. Mas, essas áreas serão expandidas ao longo do tempo para cobrir todo o território argentino.

Por outro lado, as teles questionam não poderem oferecer Tv paga via satélite, de modo que seu escopo de atuação – limitado por enquanto a algumas cidades – não ultrapassaria a infra-estrutura existente (cabo de fibra óptica). A Claro não oferece telefonia fixa, mas desenvolveu redes de fibra óptica, a mesma coisa que a Telefónica, em algumas cidades ou parte delas. A vantagem da Telecom Argentina é que agora terá acesso à extensa rede de fibra óptica da Cablevisión-Fibertel, mas o governo a forçará a compartilhar o uso com seus concorrentes.

A estratégia do governo é complementada por outra proposta: dar à Arsat um papel relevante. A empresa estatal opera o satélite nacional e uma extensa rede de fibra óptica construída durante a presidência de Cristina Kirchner, mas apenas parcialmente operacional no final de seu mandato. A Arsat fornecerá a infraestrutura para um MVNO (Operador de Rede Virtual Móvel) configurado por cooperativas telefônicas e operadores de cabo de tamanho médio, como o Supercanal e a Telecentro.

Com 9,6 milhões de assinantes e penetração na ordem de 85% das famílias com televisão paga, as perspectivas de TV paga linear não deverão mudar muito na Argentina a partir da entrada da Telefónica e da Claro no negócio. Vários analistas locais se concentram melhor no impulso que isso dará à colocação de redes de fibra óptica para impulsionar o crescente negócio de banda larga. (* – Miguel Smirnoff é fundador e diretor geral da Editorial Prensario, que edita diversos títulos para os mercados de TV por assinatura, telecom e TI na Argentina)

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top