OUTROS DESTAQUES
Internacional
Telecom Italia pode ser dividida, diz ministro italiano
terça-feira, 09 de Janeiro de 2018 , 17h03

Após a aquisição do controle acionário da Telecom Italia pela francesa Vivendi (que disputou, mas acabou sendo obrigada pela  a Consob – Commissione Nazionale per le Societá e la Borsa – a reconhecer a posição, com  23,94%), o governo italiano entende que a companhia tem papel estratégico na soberania nacional. Por conta disso, o ministro do desenvolvimento econômico da Itália, Carlo Calenda, disse em entrevista ao canal Bloomberg na segunda-feira, 8, que a empresa deveria ser separada em duas entidades legais. Ele disse que o grupo, controlador da TIM Brasil, está estudando as possibilidades e "oportunidades" para concretizar isso. O próprio ministério e a agência reguladora Agcom estariam auxiliando a Telecom Italia a "definir o perímetro da rede, o que não é fácil de jeito algum".

Por conta do avanço da Vivendi sem aviso prévio ao primeiro ministro, o governo italiano ameaça multar a empresa em até 300 milhões de euros. Calenda disse que acredita ser "sábio" reduzir essa quantia, que é equivalente a 1% das receitas combinadas da Telecom Italia e da Vivendi. Mas ressaltou que a rede da empresa é importante, e por isso consulta o Conselho Estadual para saber se mantém o valor.

As medidas afetariam as três unidades do grupo: a TIM, marca também utilizada na Itália para os serviços de telefonia e Internet; a Sparkle, braço do atacado e que controla os cabos submarinos da empresa (incluindo o brasileiro SAM-1); e a Telsy, que fornece criptografia para celulares utilizados por militares e políticos italianos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top