OUTROS DESTAQUES
Nova Oi
Liminar do TJ-RJ anula assembleia da Pharol
quinta-feira, 08 de Fevereiro de 2018 , 16h28

[Atualizada às 18h20] A 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro voltou a se manifestar sobre a briga da Oi com sua maior acionista, a Pharol, e decidiu pela anulação da assembleia geral extraordinária realizada pela portuguesa na quarta-feira, 7. Na liminar do Tribunal de Justiça, o Juízo suspende todas as deliberações da AGE. Com isso, envia ofícios à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e à Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (JUCERJA) para que se abstenham de arquivar a ata do encontro dos acionistas.

Vale ressaltar que em despacho na segunda-feira, 5, o juiz Ricardo Lafayette Campos já havia declarado nula "qualquer deliberação extrajudicial que atente contra as questões já homologadas no plano". Na nova decisão, porém, há a consideração de que a assembleia aconteceu, mesmo à revelia da administração da Oi.

De acordo com o TJ-RJ, "é inviável, sem validade e, sem eficácia, qualquer deliberação extrajudicial que atente contra as questões já homologadas no plano não fazendo o Juízo manifestações meramente graciosas". E diz que a questão é de periculum in mora, uma vez que afeta não apenas a administração, mas a estabilidade para conduzir o processo de recuperação, já que "as repercussões possivelmente deletérias são imediatas". Assim, deferiu tutela de urgência para sustar os efeitos de todas as deliberações da AGE do dia 7. E assim, intimou com urgência a CVM e a JUCERJA para que se abstenham de publicar ata da assembleia.

Para o Juízo, a falta de confiança do mercado por conta da instabilidade geraria grande impacto para a atividade econômica da companhia e sua recuperação. Na decisão, afirma que "a questão é singela", indagando se um grupo de acionistas poderia realizar assembleia que visa não cumprir uma decisão judicial. "A resposta é desenganadoramente negativa. Aliás, a nenhuma pessoa é dada tal possibilidade, muito menos, como no caso em tela, aos sócios minoritários", diz o Juízo.

O magistrado ressalta que o plano de recuperação judicial não agrada a todos, mas que foi realizado "no melhor interesse da atividade empresária, objetivando o princípio maior da preservação da empresa", e que por isso foi homologado. E ressalta que não poderia haver qualquer alteração no plano de forma extrajudicial, conforme decisão anterior do TJ-RJ, vedando qualquer tentativa de inviabilizar o cumprimento do acordo e que rejeitou também a reconsideração parcial do plano, no que tange a governança da sociedade empresária.

As empresas em recuperação judicial alegaram ao TJ-RJ que "as deliberações ali realizadas são gravosas, pois substituem os principais diretores das recuperandas por indivíduos nomeados por acionistas minoritários, afetando a credibilidade do Grupo Oi no mercado e dificultando o prosseguimento de negócios em curso". E que os acionistas afrontaram decisão judicial que homologou o plano de recuperação, "o que causa instabilidade na gestão e descumprimento ao Poder Judiciário". 

Questionamento

Mais cedo, a Pharol protocolou dois recursos na Justiça do Rio de Janeiro questionando a nomeação do diretor-presidente da Oi, Eurico Teles, como único responsável pela elaboração e apresentação do plano de recuperação. De acordo com a acionista, isso afastaria de tal função os demais administradores da companhia. O segundo recurso, por sua vez, voltou a questionar a decisão de homologação do plano de RJ.

Em posicionamento enviado à imprensa após a comunicação da decisão da Justiça, a Pharol destacou que tem confiança que seus direitos como acionistas serão respeitados. E que tem convicção das irregularidades do plano da Oi. Destacou ainda que a companhia não informou ao TJ-RJ o conteúdo das deliberações da assembleia, e que tomará as "providências necessárias" para manter o que foi discutido. Confira na íntegra:

Sobre a liminar proferida pelo juízo da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, na qual inviabiliza a Assembleia de Acionistas devidamente convocada e realizada ontem (07/02), a Pharol esclarece que tem plena confiança que os seus direitos como acionistas serão respeitados e está convicta acerca das inúmeras irregularidades contidas no Plano de Recuperação Judicial da Oi.

Ao que parece a Companhia sequer informou ao juízo o conteúdo das deliberações realizadas, razão pela qual, a Pharol tomará todas as providências necessárias para quem sejam respeitada a deliberação e esclarecidos todos os aspectos que demonstram a sua legalidade as instâncias competentes (judiciais e/ou arbitrais), a fim de fazer valer os seus direitos como maior acionistas individual da Oi e que investiu a maior parte do seu patrimônio na referida empresa.

A Pharol lamenta o tratamento dispensado aos seus acionistas e a campanha de desinformação promovida por uma companhia de porte e relevância como a Oi, a fim de beneficiar interesses particulares.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top