OUTROS DESTAQUES
Internacional
ZTE é multada em US$ 1,2 bilhão pelo governo dos EUA por exportações ilegais
terça-feira, 07 de Março de 2017 , 16h34

O fornecedor de equipamentos de telecomunicações e handsets ZTE concordou em pagar uma multa de um total de mais de US$ 1,2 bilhão pelo governo dos Estados Unidos por ter violado contratos ao exportar produtos para o Irã e Coreia do Norte. Segundo informou o grupo chinês nesta terça, 7, o acordo com o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) ainda precisa de aprovações do Tribunal do Estado do Texas e do departamento de comércio do Bureau of Industry and Security (BIS). Como parte da resolução, a ZTE pagará uma multa criminal e civil de US$ 892,3 milhões, a maior da história da lei de urgência em poderes econômicos internacionais (IEEPA), além de uma penalidade adicional de US$ 300 milhões ao BIS que será suspensa em sete anos, sob condição que a companhia atenda às requisições do acordo para continuar a trabalhar com uma monitoração e auditoria independentes.

Entre 2010 e 2016, a ZTE teria exportado equipamentos de telecomunicações fabricados em solo norte-americano aos dois países da lista negra de sanções dos EUA. A fornecedora enviou um estimado de US$ 32 milhões em equipamentos para o mercado iraniano e estabeleceu projetos de infraestrutura de rede fixa e móvel. Segundo o governo norte-americano, além de ter mentido aos investigadores federais, a empresa continuou a exportar para o Irã mesmo durante a investigação e ainda criou esquema para esconder essas transações da firma de contabilidade forense contratada por ela mesma para conduzir a defesa.

"A ZTE não apenas violou os controles de exportação que mantêm tecnologia sensível norte-americana fora das mãos de regimes hostis como do Irã – eles mentiram a investigadores federais e até enganaram os próprios advogados e investigadores internos sobre seus atos ilegais", disse o advogado geral dos EUA, Jeff Sessions, em comunicado do DOJ. O acordo, afirma, "deixa claro que o nosso governo usará qualquer ferramenta que tivermos para punir companhias que violariam nossas leis, obstruem a justiça ou põem em risco nossa segurança nacional".

Em comunicado enviado à imprensa, o CEO da companhia, Zhao Xianming, disse reconhecer "os erros que a ZTE fez", tomando responsabilidades para si e apontando para mudanças na companhia. Entre essas mudanças estão novos procedimentos focados em atendimento às regras, além de "mudanças significativas de pessoa". Ele diz que o acordo permitirá a companhia a seguir em frente. Para atender às normas, o grupo estabeleceu um novo comitê específico para isso, reestruturou os departamentos regulatório e de conformidade, nomeou como diretor de normas de exportações o advogado norte-americano Matt Bell, estabeleceu novo manual de conduta de controle de exportações, criou processos e ferramentas automatizadas para regulações de vendas internacionais e treinou mais de 45 mil funcionários para controles de exportações.

Com todas essas medidas, a ZTE espera que a BIS recomende que a empresa saia da Entity List,  uma lista de instituições, pessoas, governos e organizações privadas que estão sujeitas a normas específicas para exportação. Essa remoção será condicionada à aprovação do acordo com o DOJ, naturalmente.

Mesmo com a aplicação da multa, Zhao Xianming espera que a ZTE mantenha os acordos com fornecedores norte-americanos. Alinhando as adequações às normativas do governo norte-americano e com a perspectiva do mercado para 5G, o executivo acredita que a companhia apresentará "crescimento contínuo e expansão de negócios pelos próximos vários anos enquanto continuamos a trabalhar com nossos parceiros pelo mundo".

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top