OUTROS DESTAQUES
Entrevista
Para Borges, atuação de Eurico Teles na negociação da Oi diminui risco de intervenção
quarta-feira, 06 de dezembro de 2017 , 18h09

Na semana passada, o juiz Fernando Viana, responsável pela recuperação judicial da Oi, tomou uma decisão que mudou significativamente o nível de tensão que havia sobre o governo. Ao blindar a diretoria executiva do conselho de administração da companhia, o entendimento é que a uma negociação bem sucedida com um conjunto maior de credores ficou mais provável. Nesta entrevista, o secretário de telecomunicações do MCTIC, André Borges, diz que as chances de êxito cresceram.

TELETIME – O que muda com a autonomia que o presidente da Oi, Eurico Teles, ganhou após a decisão judicial que afastou o conselho da negociação?

André Borges – Alivia bastante a pressão porque você fica livre de uma diretiva muito forte e que sempre impediu a diretoria da companhia de conduzir esse processo de acordo com os padrões de mercado. Isso atrasou e contribuiu para alongar o processo. Agora só falta a solução para as multas da Anatel, tanto as que estão na agência quanto as que estão na dívida ativa. É o trabalho que está sendo feito pela AGU. O presidente da Oi terá condições de fechar um acordo razoável.

O que é um acordo razoável?

O principal elemento é a razoabilidade para a empresa. É a capacidade de a empresa suprir esse plano com uma certa folga. Este é o critério. O resto é irrelevante. É quase uma questão matemática, porque dependendo da quantidade de dívida que você converter em ações, isso vai acarretar uma diluição de dívida para o acionista. Ainda mais quando ocorrer uma capitalização subsequente, que se espera de um compromisso firme tanto por parte dos credores quanto dos acionistas e de todo mundo que aderir ao plano.

No trabalho que vocês fizeram junto com a AGU de análise do plano apresentado pela Oi, o cenário parecia realista e a capitalização era suficiente?

Prefiro não falar sobre os pormenores do que está sendo feito pelo grupo de trabalho porque a porta voz é a ministra Grace Mendonça, e ela fará qualquer oficialização do nosso entendimento. O que se espera é um plano de negócio que seja robusto, uma geração de caixa que seja crível e se possa fazer a dívida caber dentro disso.

Nesse cenário de autonomia dada ao presidente, a perspectiva de intervenção diminui?

Sim, diminui. Só se o Eurico não conseguir um entendimento isso vai ser necessário.

Ou se os indicadores da empresa se tornarem ruins ou houver a perspectiva de descapitalização da empresa, correto?

A intervenção só se justifica pelo risco à qualidade e continuidade do serviço. Seria uma intervenção preventiva.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top