OUTROS DESTAQUES
TELEFONIA FIXA
Ligações de telefones fixos ficam até 0,24% mais baratas
segunda-feira, 06 de novembro de 2017 , 16h47 | POR REDAÇÃO, COM ASSESSORIA DE IMPRENSA

A Anatel divulgou, nesta segunda-feira, 6, o reajuste dos planos básicos da telefonia fixa (assinatura mensal, habilitação e minutos das ligações locais e nacionais). A média da redução das tarifas locais e interurbanas das concessionárias Sercomtel; Algar; Claro (Embratel); Oi será entre -0,02% a -0,24%. As tarifas da Vivo (Telefônica) terão aumento médio de 0,76%.

Os novos valores ainda precisam ser publicados no Diário Oficial da União, o que deve acontecer nesta terça-feira, 7. As concessionárias de telefonia fixa são obrigadas a divulgar os novos valores das tarifas em jornais de grande circulação e no portal da empresa dois dias antes da aplicação.

 

Concessionária Reajuste máximo da cesta Local/LDN
Sercomtel -0,02%
Algar Telecom -0,24%
Telefônica   0,76%
Claro -0,10%
Grupo Oi -0,24%

Do total de clientes das concessionárias de telefonia fixa, 3,4 milhões utilizam o plano básico de serviço da Oi (25,57%); 818,5 mil da Telefônica (8,62%); 58 mil da Algar Telecom (8,07%); e 12,7 mil na Sercomtel (7,41%).  Em relação à Claro, o usuário, se não tem um plano contratado com a operadora, paga os valores do plano básico ao selecionar o Código de Seleção da Prestadora (CSP) para a ligação interurbana.

A tarifa de telefonia fixa é reajustada pelo Índice de Serviços de Telecomunicações (IST).  Além disso, no cálculo do reajuste os ganhos de produtividade das empresas são divididos com o consumidor por um redutor tarifário, denominado Fator X.  De acordo com análise do conselheiro da Anatel, relator do processo de reajuste, Leonardo de Morais, de outubro de 2016 a setembro de 2017 as tarifas da telefonia fixa caíram 3,96% enquanto o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) registrou aumento de 6,12%.

 

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. Rogério Pires disse:

    Telefonia fixa é uma serviço em extinção! O meio físico é necessário para o escoamento de toda demanda fixa e móvel, mas para o cliente final, exceto empresas, é um produto de muito pouca atratividade!

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top