OUTROS DESTAQUES
Mercado
Viasat alega que suspensão do contrato com a Telebras é "grave para o Brasil"
sexta-feira, 04 de maio de 2018 , 16h21

Após a Justiça manter liminar suspendendo o contrato com a Telebras, a Viasat emitiu comunicado nesta sexta-feira, 4, alegando que a decisão é "grave para o Brasil" por interromper os programas governamentais. A companhia norte-americana diz que o impedimento do uso do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC) prejudica o acesso à Internet para "milhares de estudantes" nas escolas "simplesmente porque concorrentes descontentes fizeram alegações falsas sobre a parceria entre a Telebras e a Viasat".

A companhia afirma que segue comprometida com o País e mantém a posição de que a parceria "é uma abordagem legal e inovadora para trazer benefícios sociais e econômicos para todo o Brasil". Declara ainda já ter investido "milhões de dólares no país" por meio de sua subsidiária, a Viasat Brasil, e que tem compromisso de investir mais e criar "milhares de empregos".

A empresa espera que a Justiça comprove a legalidade do contrato para então retomar o programa, levando em consideração que o satélite tem vida útil finita – argumento também usado pela Telebras em posicionamento na quinta-feira. "Não há razão válida para reter esse importante avanço e seus benefícios para a população brasileira na educação, saúde e na diminuição da exclusão digital", acredita a Viasat.

Confira o comunicado na íntegra abaixo:

A decisão desta quarta-feira, 3 de maio, é grave para o Brasil. Depois de anos de planejamento e do investimento de milhões de dólares, escolas, cidades e zonas rurais do Brasil estão próximas de receber a Internet de alta qualidade necessária para o seu desenvolvimento econômico e social. Agora, milhares de estudantes podem perder a oportunidade de ter acesso à Internet em suas escolas por meio do satélite SGDC-1, simplesmente porque concorrentes descontentes fizeram alegações falsas sobre a parceria entre a Telebras e a Viasat.

Apesar da decisão manter vigente a liminar até o momento, a Viasat segue comprometida com o Brasil para ajudar a conectar pessoas de todo o país à comunidade digital. Mantemos a nossa posição: a parceria entre Viasat e Telebras é uma abordagem legal e inovadora para trazer benefícios sociais e econômicos para todo o Brasil. A Viasat já investiu milhões de dólares no país por meio da sua subsidiária Viasat Brasil, comprometida a investir ainda mais e criar milhares de empregos, com sua comprovada tecnologia em Internet de alta velocidade. A Viasat e a Telebras estão investindo em regiões do país onde outras empresas não o fazem.

Acreditamos que, quando a Justiça analisar os processos que tentam impedir a parceria com a Telebras, irá comprovar a legalidade e os benefícios para a sociedade brasileira com essa parceria. A Viasat e a Telebras, então, retomarão o trabalho de oferecer acesso à Internet de alta qualidade a todo o território brasileiro. Não há razão válida para reter esse importante avanço e seus benefícios para a população brasileira na educação, saúde e na diminuição da exclusão digital. Os satélites possuem vida útil finita e, cada dia de processo, é um dia a mais no qual os benefícios do SGDC-1 não são entregues aos brasileiros.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top