OUTROS DESTAQUES
Análise
ISPs, fibra e velocidades mais altas impulsionam banda larga fixa em maio
terça-feira, 03 de julho de 2018 , 15h14

A banda larga fixa continuou crescendo em maio no Brasil segundo dados da Anatel, mas em especial com três elementos que indicam relação entre si: os provedores regionais, a tecnologia de fibra e as conexões acima de 34 Mbps, consideradas como ultra banda larga e agora a terceira faixa de velocidade mais popular.

O único serviço com constante crescimento de base no mercado de telecomunicações adicionou 125,2 mil acessos em maio, superando a marca de 30 milhões de conexões (30,071 milhões, mais exatamente) após um avanço de 0,42% no mês e de 9,47% no ano. Mais uma vez, as adições líquidas foram puxadas pelos provedores regionais, que adicionaram 117,2 mil contratos somente no mês (aumento de 2,26%), totalizando 5,299 milhões de conexões. Em 12 meses, os ISPs já cresceram 56,17%.

Ainda assim, o maior grupo em banda larga fixa do Brasil, a América Móvil (Claro, Embratel e Net), também contribuiu ao adicionar 39,3 mil acessos no mês (0,43% de aumento), totalizando 9,149 milhões de contratos. Comparado a maio de 2017, o crescimento é de 6,57%. A Vivo também avançou: 0,11% no mês e 1,74% no ano, total de 7,689 milhões de acessos. Dos maiores grupos, apenas a Oi não conseguiu crescer no mês, com 54,8 mil desligamentos (queda de 0,88%), total de 6,157 milhões de conexões. No comparativo anual, ainda há queda: 4,04%.

Pegando carona nos ISPs, a tecnologia com maior crescimento líquido em maio foi a fibra, com 173,6 mil adições, um avanço de 4,76%. Com cerca de 1,6 milhão de linhas a mais do que maio de 2017 (aumento de 70,55%), a base FTTx no País já é de 3,822 milhões de acessos. O cable modem também cresceu: 51,5 mil adições líquidas (0,56% de avanço) no mês, total de 9,233 milhões de acessos. No ano, o crescimento é de 6,71%.

Vale notar a queda de 55,7 mil acessos no mês (0,43%) na tecnologia mais popular do mercado, a xDSL, que tem um total de 12,913 milhões de contratos. Em 12 meses, o recuo é de 389 mil acessos (2,92%). Com isso, a soma das duas tecnologias de banda larga (cabo e fibra) já supera com 44% de market share a tecnologia baseada na rede de cobre.

Correção de velocidade

No comparativo por faixa de velocidade, a discrepância notável do levantamento anterior (referente a abril) da Anatel foi corrigida. A faixa de 512 Kbps a 2 Mbps, que apresentava crescimento, na verdade teve queda – que foi inclusive acentuada em maio. O recuo foi de 2,45% (contra 0,64% no mês anterior), totalizando 5,546 milhões de acessos. Já a faixa de 2 Mbps a 12 Mbps, ao contrário, mostrou crescimento sucessivos de 0,20% em abril e de 0,38% em maio, totalizando 10,146 milhões.

Note-se que as maiores velocidades são as que apresentam crescimento. A faixa de 12 Mbps a 34 Mbps cresceu 0,38% em abril e totaliza 7,821 milhões de acessos, a segunda maior do País. Em 12 meses, o avanço é de 8,20%. E virando a terceira maior faixa, superando o recorte de 512 Kbps a 2 Mbps pela primeira vez, as conexões acima de 34 Mbps adicionaram 249,2 mil contratos somente no mês, um avanço de 4,66%. Com um total de 5,603 milhões de conexões, o aumento em relação a maio de 2017 é de 70,94%. Confira a evolução de cada faixa de velocidade no gráfico abaixo, agora contando com a correção de abril.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top