OUTROS DESTAQUES
Regulamentação
Posse de Sardenberg ganha apoio político de Lula
segunda-feira, 02 de julho de 2007 , 20h47 | POR CRISTIANA NEPOMUCENO, DE BRASÍLIA

A posse do novo presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, nesta segunda-feira, 2, deu uma demonstração de que, de fato, o governo Lula decidiu apoiar o fortalecimento institucional da agência. Foi a mais prestigiada desde 2002, quando Renato Guerreiro deixou a agência e foi substituído por Luiz Guilherme Schymura.
Estiveram presentes dois ministros de Estado – Hélio Costa, das Comunicações, e Celso Amorim, das Relações Exteriores (um dos responsáveis pela indicação de Sardenberg). E ainda, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), líder do PMDB no Senado, o deputado Júlio Semeghini (PSDB-SP), presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, e presidentes e diretores de todas as operadoras de telecomunicações e de grandes fabricantes do mercado.
Logo no início de seu discurso, Sardenberg frisou que foi escolhido por Lula para promover o fortalecimento da Anatel, retomar a agilidade decisória da agência e propor rumos para o futuro. Também frisou que usará da sua experiência como diplomata para ?ouvir e dialogar?.
Na avaliação de Sardenberg, o fortalecimento da agência implica na sua independência institucional e financeira. ?A Anatel não está em fase de liquidação e nem está em fase de tornar-se mais dependente. Ela está na fase de uma renovação de sua estrutura. De renovação institucional e mais independência?, frisou. Ele adiantou que também irá debater dentro do governo a importância da independência orçamentária do órgão regulador.
O novo presidente afirmou ser ?100% favorável? à reestruturação da agência. O processo de reestruturação organizacional da Anatel está parado desde 2005. ?Vivemos em um País em mudanças. Os termos dos problemas de telecomunicações estão mudando e a Anatel precisa se adaptar a esses novos tempos?, disse ele.
No discurso, Sardenberg também chamou a atenção para o aumento do número de reclamações sobre os serviços de telecomunicações. Ele lembrou que, em 2006, houve um crescimento de quase 30% das reclamações no call center da Anatel. E chamou as empresas a assumirem suas responsabilidades e dialogarem com a agência para melhorar a qualidade do serviço prestado. ?E claramente a Anatel, na medida em que tem uma parcela dessas responsabilidades, está disposta a promover um melhor atendimento aos consumidores e aos usuários.?

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top