OUTROS DESTAQUES
Serviços móveis
WhatsApp é aplicativo mais comum na primeira tela dos smartphones
segunda-feira, 02 de maio de 2016 , 22h11

O WhatsApp é o aplicativo mais frequentemente encontrado na primeira tela dos smartphones no Brasil. Ele está presente na homescreen de 78,3% dos aparelhos ativos no País. O dado faz parte da terceira edição da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de Apps no Brasil e dá a dimensão do impacto da decisão judicial de bloqueio do serviço no Brasil.

O WhatsApp também lidera a lista dos apps favoritos dos brasileiros. Quando perguntados qual aplicativo teriam se só pudessem instalar um em seus smartphones, quase a metade dos entrevistados (48%) apontaram o WhatsApp. O comunicador instantâneo fica bem à frente do segundo colocado.

A pesquisa foi feita em abril com 1.958 internautas que possuem smartphone, respeitando a distribuição por gênero, idade, renda familiar mensal e região do país desse grupo. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95% e a

Mais resultados da pesquisa serão divulgados nesta terça-feira, 3, durante o 15o Tela Viva Móvel, em palestra realizada pelo editor de Mobile Time, Fernando Paiva, e o diretor da Opinion Box, Felipe Schepers. O relatório na íntegra será distribuído em primeira mão para os participantes do evento.

Para conhecer mais informações sobre o comportamento dos brasileiros no uso de comunicadores instantâneos, com foco especialmente no WhatsApp e no Facebook Messenger, recomendamos o download de outra pesquisa periódica realizada por este noticiário em parceria com Opinion Box, a Panorama Mobile Time/Opinion Box – Mensageria no Brasil, cuja edição mais recente foi publicada em fevereiro. O download do relatório na íntegra pode ser feito aqui.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. Nelson disse:

    Acho discriminatório pedir bloqueio somente ao whatsapp pois sabemos que existem varios e varios apps de mensageria semelhantes ao Whatsapp no mundo inteiro. E a maioria nem tem a empresa formalmente constituida no Brasil como o facebook. A facebook não estaria sendo punida por que resolveu ter uma sede formal no país? Pois os apps poderiam continuar existindo mesmo que a empresa não exista no país, e neste caso acredito que o país sairia perdendo.
    Se os criminosos resolverem usar transmissão de um texto cifrado em código de conhecimento somente entre eles via fac-símile (fax) o juiz mandaria colocar cadeado em todos os aparelhos de fax do país? A diferença seria que todos os aparelhos de fax seriam "virtuais" e o mais popular seria o app do facebook entre outros apps disponíveis de graça bastando ter um número de celular pré-pago.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top