OUTROS DESTAQUES
Análise
Telefonia fixa encolhe quase 3% em 2017
sexta-feira, 02 de Fevereiro de 2018 , 18h37

Como tem sido constante nos últimos anos, a base brasileira de telefonia fixa tem ficado cada vez menor. Em 2017, de acordo com dados divulgados pela Anatel nesta sexta-feira, 2, houve uma redução de 2,96% comparado ao ano anterior, ou 1,2 milhão de desconexões. A redução da telefonia fixa foi menor do que a registrada em 2016, quando o País reduziu em 1,845 milhão sua base total, uma queda de 4,22% comparado a 2015.

Em dezembro de 2017, o mercado contava com 40,8 milhões de linhas em operação, das quais 17,1 milhões eram de empresas autorizadas e 23,6 milhões das concessionárias. As concessionárias foram a que mostraram maior queda: 4,48%, ou 1,1 milhão de desligamentos em 12 meses. Já as autorizadas desligaram 134,7 mil linhas, uma redução de 0,11%. No comparativo com novembro, ambas as categorias também mostraram redução. Foram 19,2 mil linhas a menos nas autorizadas (queda de 0,11%) e de 118,2 mil acessos pelas concessionárias (0,50% abaixo).

No recorte por grupo de autorizadas, a Algar foi a que mais cresceu em adições líquidas no ano: 85,8 mil linhas a mais (avanço de 34,47%) no período. No comparativo com novembro, o crescimento foi de 2,58% (8,4 mil adições líquidas).

Já a Vivo cresceu em 12 meses 11,6 mil linhas (0,24%), e a Oi, 3,3 mil adições (avanço de 2,06%). Entre as que mais desligaram, liderou a Claro Brasil (Claro, Embratel e Net) caiu 249,2 mil linhas (redução de 2,24%), enquanto a TIM reduziu a base em 9,6 mil acessos (queda de 1,4%).

A Algar também cresceu entre as concessionárias: 22,5 mil adições à base, um aumento de 3,07%. Mesmo no comparativo mensal, a operadora mineira apresentou avanço – na verdade, foi a única empresa a apresentar aumento. Foram 1,6 mil novas linhas fixas, um crescimento de 0,21%. Comparado a 2016, as maiores reduções de concessionárias foram na Oi (837,3 mil desconexões, queda de 5,91%) e na Vivo (291,4 mil desligamentos, redução de 3,01%).

Entre os estados da federação, São Paulo perdeu mais linhas, com 412 mil desligamentos (2,61% de queda) no ano, seguido de Rio de Janeiro (330,9 mil desconexões, redução de 6,46%) e Minas Gerais (109,3 mil, queda de 2,74%). Santa Catarina, Paraná e Acre foram os únicos estados a apresentar crescimento em 2017, com avanço de 1,22% (20,4 mil adições), 0,27% (7,8 mil) e 0,24% (0,2 mil), respectivamente.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top