OUTROS DESTAQUES
Análise
Base móvel cai menos em janeiro; 4G mantém ritmo de crescimento
quinta-feira, 01 de Março de 2018 , 15h53

Após uma queda expressiva em dezembro, mês em que as operadoras normalmente executam limpeza de base, o mercado brasileiro de serviço móvel começou 2018 com uma redução mensal menor: 0,11%, totalizando 236,229 milhões de acessos. Considerando o período de 12 meses, a queda da base total é de 7,189 milhões de conexões (2,95%). Ainda assim, o ritmo da tecnologia LTE continuou a todo vapor em janeiro deste ano, conforme mostram os números divulgados pela Anatel nesta quinta-feira, 1º.

A base 4G começou o ano com 105,497 milhões de acessos, um aumento de 3,19% (ou 3,258 milhões de adições líquidas) comparado a dezembro. Em 12 meses, o acúmulo de crescimento já é de 62,76%, ou 40,680 milhões de adições. Assim, a quarta geração já representa cerca de 45% do total de celulares no País.

Interessante notar a diferença de realidade do mercado de serviço móvel no Brasil comparado a janeiro de 2015, quando os 144,7 milhões de acessos 3G e 112,9 milhões de conexões 2G contrastavam com uma base LTE de apenas 6,764 milhões de linhas. Confira na evolução abaixo.

O crescimento mensal na tecnologia 4G foi mais equilibrado entre as quatro maiores operadoras. Desta vez, a empresa que mais acrescentou linhas no mês foi a TIM, com 992,3 mil adições líquidas (avanço de 3,59%), totalizando 28,603 milhões de linhas, ou 27,11% do mercado. No ano, a tele acumula um aumento de 59,73% (10,696 milhões de adições). A Vivo adicionou em janeiro 895,9 mil linhas, um avanço de 2,61%, total de 35,280 milhões de acessos e 33,44% (e mantendo a liderança) do mercado.

Claro acrescentou no mês 710,6 mil chips 4G, um avanço de 3,12% para um total de 23,474 milhões de conexões (que representam 22,25% do mercado). No ano, o avanço foi de 71,81%. Só não foi maior do que o crescimento da Oi em 12 meses: 76,61%, totalizando 17,033 milhões de linhas. No mês, também foi o maior avanço proporcional: 4,13%. A operadora tem 16,15% do mercado. Por sua vez, a Nextel, com apenas 1,05% de market share, foi a única a apresentar queda no mês: 1,35%, acima do crescimento de 0,11% registrado em comparação com janeiro de 2017. No total, a empresa conta com 1,105 milhão de acessos.

Outras tecnologias

Além do LTE, a única tecnologia a mostrar crescimento em janeiro foi a da base de máquina-a-máquina (M2M) Especial, ou seja, sem interface humana. Foram 754,9 mil adições (aumento de 12,02%), totalizando 7,033 milhões de conexões. Em 12 meses, o avanço é de 24,61%. O M2M Padrão, por outro lado, caiu 5,75% no mês, apesar de ainda mostrar aumento de 16,78% no ano, totalizando 8,426 milhões de acessos.

Tanto 2G quanto 3G seguiram seus ritmos de queda. A tecnologia GSM caiu 3,74% no mês e 33,83% no comparativo anual, totalizando 2,901 milhões de acessos. Já a WCDMA foi a que teve maior redução líquida: 2,608 milhões de desconexões, uma queda de 3,12% (no ano, a queda é de 29,65%). No total, essa tecnologia tinha em janeiro 80,994 milhões de acessos. Confira a participação de mercado de cada operadora em 3G no gráfico abaixo.

Avanço do pós

A redução do ritmo de desconexões no mercado em janeiro aconteceu mais na base pré-paga, que ainda assim observou queda menor do que no mês anterior. Foram 1,065 milhão de conexões a menos do que em dezembro, uma redução de 0,72%. Em 12 meses, essa base diminuiu 9,98%, e agora totaliza 147,443 milhões de acessos. Ainda é 62,42% do mercado, mas uma realidade diferente de janeiro de 2015, quando representava 75,75% de toda a base.

O pós-pago, por outro lado, avançou 0,92% (807,2 mil adições líquidas) e encerrou janeiro com 88,786 milhões de acessos. Em 12 meses, o crescimento já é de 11,50%. Essa modalidade, que inclui os planos do tipo controle, representa 37,58% de toda a base brasileira.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. Erick Nilson disse:

    E a tendencia do Pos Pago e dos Planos Controle é só crescer… Eles estao mais atrativos ja faz algum tempo.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top